segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Amor!


(Afrodite e Eros)



Amor, como Arte, Ciência, Religião ou Política, é basilarmente uma busca da Unidade, não deve ter nada que ver com instituições, está no melhor para além de toda a palavra e de todo o gesto; tudo o que se faça em Amor é expressão dele, não Ele próprio. Toda a expressão, pode existir por si mesma, sem que fundo algum lhe corresponda.

Ao lado do Amor, e com ele se confundindo, vem toda a gama de compaixões, piedades e carinhos que vão sempre de um superior a um inferior como água que flui descendo para que mate sedes. Creio que duas pessoas realmente se amam quando poderiam passar a vida inteira no silêncio da contemplação, na ausência de tempo, na inexistência de espaço, quando se sentem inteiramente livres e nada querem dos outros senão a suprema liberdade de serem o que são e de tão profundamente se realizarem em  Amador e Amado.

A verdadeira fidelidade é a de qualquer dos dois ao Uno, não a dependência que um pode ter do outro; dois num só espírito está certo, dois numa só carne está certo; o que está errado é tomar-se isso como a subordinação de um espírito a outro e de uma carne a outra.


No fundo, o que há de bom é o poder e a liberdade de Amar, coisas que o mundo em geral mata com seus tabeliães, com as suas igrejas, com os seus códigos que diz mortais, amparando a maior parte da gente, que se não entende na liberdade a que os cromossomas ou a educação deram medo.



Raquel Silva

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Amnistia Internacional


Recebi este mail do Ernesto, um dos nossos colaboradores mais assíduos. Bem-haja!

É um apelo à paz, ao respeito pela vida e amor entre os seres vivos, seja qual for a cor, crença ou raça.


video

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Tenho pena...


Tenho pena de tudo quanto lida,
Neste mundo, de tudo quanto sente,
Daquele a quem mentiram, de quem mente,
Dos que andam pés descalços pela vida;

Da rocha altiva, sobre o monte erguida,
Olhando os céus ignotos frente a frente;
Dos que não são iguais a toda a gente,
E dos que se ensanguentam na subida!

Tenho pena de mim... pena de ti...
De não beijar o riso de uma estrela...
Pena dessa má hora em que nasci...

De não ter asas para ir ver o céu...
De não ser Esta... a Outra... e mais Aquela
De ter vivido, e não ter sido Eu...


JB

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

O Despertar



O programa previsto para o Seminário O Despertar com Remi e Sylvie Boyer é o seguinte:


- A metafísica do Despertar

- Práticas de Base - Glosando o Quadrante do Despertar

- Passagem de Portas

- Hinos à Deusa

- Debates sobre a temática



Dado os conteúdos desta Actividade torna-se necessária a inscrição. 





Actividades em Fevereiro 2011




5 de Fevereiro
15:00 – Meditações e Técnicas
Actualização das informações sobre a Exposição em Lisboa



12 e 13 de Fevereiro
– Seminário de Iniciação ao I Grau de Reiki


19 de Fevereiro
– 15:00 – Encontro de Reiki destinado a todos os inicados Reiki que queiram participar. Consta de actualização e reposição de conhecimentos e protocolo.


26 e 27 de Fevereiro
-       Seminário “O despertar II” com Remi Boyer
-       Programa acessível no Blog ou no Centro
-       Inscrições abertas




Actividade permanente:
Hatha Yoga – 2ª e 4ª às 19:00

sábado, 15 de janeiro de 2011

A Viagem de todos nós...


                              
Comparo a vida a uma viagem de comboio. Uma comparação extremamente interessante porque a nossa vida não passa de uma viagem de comboio. Cheia de embarques e desembarques, pequenos acidente pelo caminho, surpresas agradáveis com alguns embarques e tristezas com os desembarques.

Quando nascemos, ao embarcarmos no nosso comboio, encontramos duas pessoas que acreditamos que farão connosco a viagem até ao fim: os nossos pais. Infelizmente, em alguma estação eles desembarcam, deixam-nos órfãos dos seus carinhos, da sua protecção, do seu amor e afecto. Mas isso, não impede que durante a viagem embarquem pessoas interessantes que virão a ser pessoas especiais para nós. Embarcam os nossos irmãos, amigos e amores. Muitas pessoas apanham este comboio em passeio, outros fazem a viagem experimentando somente tristezas.

No comboio, há também pessoas que passam de vagão em vagão, prontas para ajudar quem precisa.

Muitos descem e deixam saudades eternas! Outros tantos, viajam no comboio de tal forma que quando desocupam os seus assentos, ninguém sequer percebe.

Essa viagem é assim, cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, embarques e desembarques.

Sabemos que esse comboio jamais volta.

Façamos esta viagem então da melhor maneira possível, tentando manter um bom relacionamento com todos os passageiros, procurando em cada um deles o que tem de melhor, lembrando-nos sempre que, em algum momento do trajecto poderão fraquejar e possivelmente precisamos de entender isso. Nós mesmos fraquejamos algumas vezes e certamente alguém nos entenderá.

O grande mistério afinal é que não sabemos em que estação desceremos. E fico a pensar….

E quando eu descer desse comboio sentirei saudades?

Sim. Deixar o meu filho a viajar nele sozinho será muito triste! Separar-me de alguns amigos que fiz nele, dos amores da minha vida, será para mim doloroso.

Mas agarro-me à esperança de que em algum momento estarei na estação principal e terei grande emoção em vê-los chegar com uma bagagem que não tinham quando embarcaram.

E o que me deixará feliz, é saber que de alguma forma eu colaborei para que ela tenha crescido e tornando-se valiosa.


Raquel Silva

domingo, 9 de janeiro de 2011

Ervas milagrosas....

Ontem, sábado, tivemos a abertura das nossas Actividades. O tema foi chás, tisanas, infusões, plantas, enfim milagres da Natureza.

Os aromas misturaram-se na sala que se transformou em palco de magia e beleza, um mundo secreto pleno de cor, de amor que não sonhamos existir.

Não vamos aqui desenvolver o tema, pois é muito vasto. Ficou a certeza de que temos à nossa porta plantas maravilhosas que tantas vezes calcamos por desconhecimento ou inadvertência.

A Raquel, a quem dizemos bem-haja pelo carinho, trabalho  e disponibilidade, trouxe-nos uma amostra dos sabores maravilhosos de uma tisana, natural e pura, preparada no momento, aromática, uma descoberta do paladar, ou de um chá servido quente e acompanhado.



Vamos confessar que algumas das plantas não são fáceis de degustar. Vejamos por exemplo o Marroio, de sabor acre, rugoso, que fica na garganta, mas que faz maravilhas.... 


Outras, de gosto requintado, como o chá verde ou a artemísia, ou então suave e fresco como a rosa silvestre...

Falamos da colheita, tratamento e conservação desta plantas, que no Inverno nos podem aquecer e fortalecer e no Verão trazem a frescura, mas sempre vêm ajudar na cura. Tudo com uma rodela de limão ou simples... ao gosto de cada um.

Como a nossa animadora chegava de uma viagem a Cabo Verde, não faltou a cana de açúcar, o mel de cana, a casca em bruto da canela, o gengibre de S. Tomé... e o nosso mel e requeijão.... hmmm....

 Notamos que estas pequenas criaturas a nossos pés ou crescendo pelas paredes são muitas vezes consideradas ervas daninhas. 

Fica a pergunta, afinal o que são ervas daninhas? Não são aquelas que fazem "mal"? Mas fazem mal a quem? 

E mesmo neste Universo simples a pergunta crucial fica: o que é o Mal?

E a resposta: é tão relativo....

Com votos de que o Ano seja pródigo em pequenos milagres da Vida, desejamos um grande bem a todos.

Que a  Mãe Natureza vele por cada uma das suas criaturas no milagre contínuo de cada dia.



sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Distracção



Esta palavra tem um significado muito interessante. Podemos encará-lo de forma mais leve ou  mais profunda. Todos nós andamos distraídos a maior parte da nossa vida. A vida agitada que temos, não nos deixa “perceber” o que realmente é importante ao redor. Muitas vezes, também não queremos “ver” como são as pessoas ou as situações que se nos depararam. 

(Pintura: Garmash)
Mais importante que o significado de “Distracção”, deve-se pensar neste conceito relativamente a nós próprios. Todos os dias ignoramos os sinais que o nosso corpo, a nossa mente, nos envia, indicando que algo está mal. Simplesmente não ligamos. Tudo isto, leva a que tenhamos doenças do foro psicológico e físico, que nos deixa impotentes durante um certo período de tempo ou indefinidamente.
Em cada novo ano que passa, fazemos votos para mudar muita coisa. Mas, infelizmente, não realizamos nem metade ao que nos proposemos. Porque somos Seres Humanos, temos muitas imperfeições e limitações, por isso temos que temos de melhorar dia-a-dia. 

Cada vez andamos mais “doentes”, porque estamos a perder a capacidade de amar o outro e a nós próprios. A nossa sociedade está viciada em tecnologia e esta leva-nos a muitas distracções. Os afectos passam a ser “escritos“ quando deveriam ser transmitidos pessoalmente. A internet é boa para quando nos comunicamos com alguém que está longe. No entanto, vivemos relativamente perto uns dos outros e não encontramos pessoalmente, mas através da net. 

Quando alguém desaparece da nossa vida, por inúmeras razões, é que nos apercebemos do que deveríamos ter feito e não fizemos. Enquanto andamos distraídos, as coisas passam-nos ao lado. Não valorizamos nada nem ninguém.   Mas se damos um trambolhão enorme, ficamos feridos e perguntamo-nos “porquê? É uma dor pungente. Sofremos e apesar disso, aprendemos a sobreviver e tentamos perceber o que se passou. Que todas estas lições da nossa vida sirvam para sermos melhores seres humanos e menos “distraídos”.
Tudo o que fazemos e pensamos tem um reflexo na nossa vida e na dos que nos rodeiam.

Mary Rosas
06.01.11

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Divagar devagar



Quando damos asas à nossa imaginação, o tempo voa, a distância encurta e o impossível deixa de existir.
Estava a com a minha netinha, de 6 meses, ao colo, depois da sua papinha, à espera do arrotinho e do início do óó…
E associei o seu nome, ANA, ao da mãe da Virgem Maria.
E num pulo saltei até Fátima.

E em Fátima passeei pela Capelinha das Aparições, pelo Santuário, pela Igreja da Santíssima Trindade e pela procissão do 13 de Maio. Não sei porquê, aqui parei e a imaginação deixou de funcionar. Qualquer fusível ou chip devem ter fundido ou avariado. Logo no dia 13 de Maio. E eu que não tenho nada contra os dias 13. Que se teria passado? Fiquei preocupado. Nem a divagar, nem devagar a imaginação me deixava usufruir do prazer de viajar.
Era mesmo azar e o 13 teria alguma coisa a ver com isso?

De repente houve uma explosão dentro de mim e, sem querer, fui parar a Amarante.
Muito estranho. Bem sei que o verdinho de Amarante é uma maravilha e que o cabrito é um espectáculo. Apre! A mente estaria doente? Só pensava em comes e bebes?
Nã, não podia ser. Tinha que haver uma explicação mais lógica, pois mesmo nas divagações não costumamos ser tão disparatados.

De repente houve luz e a divagação entrou nos eixos.
Claro, tinha que ver com Fátima. Só uma imaginação burra não via logo.
Então o Grupo de Amarante, os peregrinos heróicos que anualmente vão a pé, até à Cova da Iria… cheios de fé e amor. Todos com sacrifício, mas com uma alegria esfuziante. Indescritível. Só quem passa por isso sabe o que sente, disse-me alguém. Uns, por pura fé, sem nada pedirem em troca; outros, cumprindo promessas por bênçãos recebidas, pois acreditaram nas palavras de Cristo: “pedi e recebereis”; e os restantes que não esperaram pelas graças pedidas, mas, com esperança, anteciparam as mesmas, se o Senhor achasse por bem. Porque, como Ele também disse, às vezes não sabemos o que pedimos…

De um salto fui até ao Oriente. E encontrei os 3 reis magos com o seu séquito. Fiquei maravilhado. E perguntei-lhes como tinham sabido que o Deus Menino tinha nascido e que história era essa de uma Estrela Especial que tinha aparecido no firmamento! Um dos reis magos ia elucidar-me, quando…
Por sorte ou desgraça, a minha netinha abriu os olhos, olhou bem para mim e sorriu. E eu percebi logo o que ela me queria dizer:
“Avô, desce à terra e muda-me a fraldinha, mas depressa”…


Ernesto Henriques

sábado, 1 de janeiro de 2011



A todos aqueles que fazem, fizeram ou farão parte da nossa vida,
a todos aqueles que estão no Caminho
A todos aqueles que pisam os trilhos da Vida
Consciente ou inconscientemente
A todos aqueles que procuram o despertar
E aos outros que dormem sem vontade de ver a Luz
A todos, pois todos somos Um,

Que 2011
seja mais um ciclo de aprendizagem activa
Que a Mãe-Vida e o Pai-Luz permitam um corpo são
Uma mente forte
E um coração de Amor
Para mais uma etapa neste Tempo terrestre.

Que não permitam que todos os sonhos se realizem
Pois precisamos continuar a sonhar
Com o Querer de acreditar...
Que não demos todos os passos
Para continuarmos a caminhar
Na Vontade de chegar

Que VIVAM em Pleno
Em cada dia e a todos os momentos
No AQUI E AGORA ...