quinta-feira, 24 de março de 2011

Actividades em Abril 2011




2 de Abril
Passo a passo pelo Porto
-       10:00 – Encontro em Espinho: estação CP



09 de Abril
-  15:00 - 2º Atelier de Artesanato animado por Elisa Fontes
Pintura em Argila- Lembranças de Páscoa




30 de Abril
      15:00 – Meditação e Técnicas
o   Desenvolvimento do Primeiro Tema: o Amor




O Centro encerra para as festividades de Páscoa de 22 a 25 de Abril.

terça-feira, 22 de março de 2011

Se



Se, na tua Vida, um dia tiveres que chorar,  
Sentir-te sozinho, longe de quem amas.
Pensa que haverá sempre alguém para te indicar o Caminho certo
Ouve estas Palavras, porque sou eu quem te digo, não fui sempre aquele que eu sou.
Conheci muitas lágrimas, momentos de pânico e a miséria,
Então recita comigo esta Oração.

Meu Deus concede-me a Serenidade
para aceitar todas as coisas que eu não posso mudar.
Dá-me a Coragem para mudar as coisas que eu puder,
E a Sabedoria para saber a diferença.

Deverás também levantar-te de novo,
Se quiseres mudar o teu Destino,
Deixa de lado as coisas que te destroem,
Terás então boas surpresas.
Para ti, cada dia será ensolarado
O teu Coração irá abrir-se ao Amor.
Vive só um dia de cada vez, se quiseres dele desfrutar
E serás Feliz para sempre.

Meu Deus concede-me a Serenidade
para aceitar todas as coisas que eu não posso mudar.
Dá-me a Coragem para mudar as coisas que eu puder
E a Sabedoria para saber a diferença.

Quando a minha Paciência estiver esgotada, ajuda-me a reencontrá-la.
Ensina-me a enfrentar as dificuldades com Calma e Serenidade
Quando ficar sem vivas respostas e explicações inteligentes
Permite que pare a avalanche de perguntas, pelo menos por um curto momento.

Meu Deus concede-me a Serenidade
para aceitar todas as coisas que eu não posso mudar.
Dá-me a Coragem para mudar as coisas que eu puder,
E a Sabedoria para saber a diferença.

E quando tiver a impressão de que os dias são demasiado curtos
para que eu possa desempenhar todas as tarefas que me esperam,
Faz pelo menos que eu encontre Tempo para fazer o mais importante,
Tempo para Ouvir, Tempo para Amar
e Tempo para rir também.

Meu Deus concede-me a Serenidade
para aceitar todas as coisas que eu não posso mudar.
Dá-me a Coragem para mudar as coisas que eu puder,
E a Sabedoria para saber a diferença.

Que a Tua Vontade seja feita e não a minha, estou contigo com Todo o meu Coração

Aceita este duro Caminho que ainda tens de percorrer ...


                                                                                                                           Autor Desconhecido

sexta-feira, 18 de março de 2011



Suspeita é a crença desfavorável acompanhada de desconfiança, referente a alguma coisa ou a alguém.

Mau juízo decorrente de ideia vaga, sem apoio legítimo, que, no entanto, se transforma em urze calamitosa, espalhando-se no campo mental e culminando por asfixiar os nobres ideais em que se devem sustentar as aspirações humanas.

Normalmente reflecte o estado de espírito daquele que a agasalha.

A consciência recta não lhe dá guarida, enquanto o sentimento atormentado padece-lhe a constrição, o enigma.

A suspeita corrói as melhores estruturas, conseguindo exteriorizar-se em maledicência vinagrosa, que numa frase decepa uma existência digna.

Ninguém está imune à suspeita do próximo.

Cada um vê uma paisagem conforme a cor das lentes que tem sobre os olhos. Assim, muitos fatos parecem o que melhor convém aos espectadores ou às suas personagens.

Abram  assim o espírito à tranquilidade e não estacionem nos degraus da mágoa que a suspeita dos outros coloca à vossa  frente, nem se facultem  a leviandades de suspeitar de ninguém.

Guardem-se, portanto, na paz , sem suspeitar de ninguém!


Raquel Silva

quinta-feira, 17 de março de 2011

Pequena Reflexão

video


PAREM! PAREM! PAREM um minuto e pensem... Quem somos nós? O que somos nós? Porque fazemos o que fazemos? Quem nos ensinou? Quem nos trouxe a este mundo ou planeta Terra? E porquê a Terra e não outro lugar qualquer?

Nós que queremos conquistar o mundo... que passamos por cima de tudo para conseguirmos nossos objectivos... que só nos lembramos de nós próprios... e digo nós, enquanto seres humanos... que passamos uma vida inteira a destruir para construir à nossa maneira... para construir o nosso "mundinho" humano. Para quê?

Para quê querermos ser os maiores, os mais fortes, os mais corajosos, os mais poderosos, quando domamos um cavalo selvagem, quando matamos um touro indefeso na arena, um leão na selva, ou conquistamos um pedaço de "terra ao mar". Para quê?

Desde pequena que me ensinaram a ter respeito pelos outros, mas será que não faz falta ensinar e cultivar o "ter respeito pela natureza"? Afinal, ela, deixa-nos viver no meio dela. A natureza quer, pode e manda e numa questão de minutos, ou até
segundos, ela consegue destruir o nosso "mundinho humano" que levamos tanto tempo a construir. Veja-se o sismo no Japão - 8,9 na escala de Richter em que o máximo é 10 - seguido de tsunami que levou tudo à sua frente, como se tudo fossem castelos de papel.

O Japão deslocou-se da sua posição em 2,40 metros e o eixo da terra mais 10 centímetros. Sim, mais 10 centímetros, porque já anteriormente se tinha desviado, em Fevereiro de 2010, aquando do sismo no Chile.

Tudo isto não vos faz pensar na grandiosidade da natureza perante o ser humano? No poder que ela tem em relação a nós? E nós, tão insignificantes que somos, queremos ser os senhores todos poderosos, sem olhar a meios para atingir os fins.

Vamos parar um pouco... respirar o pouco ar puro que nos resta, olhar à nossa volta e agradecer à Mãe Natureza tudo aquilo que ela nos oferece a cada dia que passa, pois sem ela não somos nada.

Fernanda Bastos

Mãos abertas ou fechadas



Mãos,
Que acarinham pai e mãe
Que acariciam a formosa esposa
Que amimam os queridos filhos

Mãos,
Que amparam os necessitados
Que confortam os doentes
Que agarram os desesperados

Mãos,
Que falam
Que protestam
Que fazem sinais lindos e obscenos

Mãos,
Que assassinam
Que batem nos indefesos
Que destroem a bela Terra

Mãos,
Como são as minhas?
E as tuas?
São as do bem ou do mal?



Ernesto Henriques

"O meu arco-iris"



Esta semana tive a oportunidade de ler um livro intitulado “O meu Arco-íris”. Foi escrito por uma amiga, que conheço já algum tempo, a Liliana.

A Liliana sofre de paralisia cerebral e neste livro fala da sua vida, das suas dificuldades motoras, do ultrapassar das dificuldades e da forma como hoje vê, sente e orienta a sua vida.

É muito importante que se reflicta sobre as dificuldades que “limitam” as pessoas com problemas deste género, o modo e a coragem de os ultrapassar, assim como superar as barreiras sociais, arquitectónicas, de inserção…, ou seja, barreiras de todo o tipo.

Felizmente, a Liliana teve apoios vários, que lhe permitiram crescer como pessoa e aprender o caminho da aceitação. Mas, concerteza não foi um caminho fácil. Teve na sua Mãe e na sua irmã, os pontos sólidos e firmes de apoio que muito a ajudaram a nunca desistir, passando por  todo um conjunto de técnicos, e familiares que sempre a ajudaram e incentivaram.

Este é um livro simples mas muito elucidativo que demonstra que nunca se deve desistir perante as dificuldades. 

No entanto, há muitas pessoas com deficiência que não têm apoios nenhuns. Alguns vivem em condições deploráveis. É tempo de “olhar ” para essas pessoas e dar-lhes o devido valor. 

Nós, que somos Seres sem marcas visíveis de disfunções, muitas vezes não temos a força suficiente para ultrapassar os nossos problemas. Este livro pode ser uma inspiração para muitas pessoas, uma “mais-valia” para que nunca desistamos de viver e de lutar pelos nossos objectivos.

Parabéns Lili, o teu livro está magnífico. Nunca desistas. És uma pessoa  persistente.  Continua na tua luta.


Mary Rosas
23.02.11

terça-feira, 8 de março de 2011

Dia da Mulher

video


Ah! Mulher...
Se todo o homem entendesse o quanto tu és importante, talvez te dessem mais valor, não te deixariam mais chorar, como nas noites de “desculpas”, onde procuram motivos para não estar contigo, quando na verdade o seu maior desejo era o de nunca sair da tua companhia.

Ah! Mulher...
Se todo o homem descobrisse para que tu realmente vieste ao mundo, jamais te fariam chorar de tristeza, jamais pensariam em magoar o teu coração, jamais desprezariam os teus sentimentos... jamais pensariam na hipótese de não te amarem...

Ah! Mulher...
Para quê haver um dia especial para a mulher, bastaria valorizá-la e lembrar que a mulher tem um útero que gera... e seios que alimentam os seres de ambos os sexos....

Ah! Mulher...
Nem sei se um dia só é suficiente para homenagear-te, mas, acredito que pode ser o começo para que a humanidade sinta o quanto tu és surpreendentemente essencial, o quanto tu és divina em todos os aspectos, o quanto Deus foi formidável em criar-te e te formar assim, tão sensível, amável, admirável, corajosa, forte, guerreira, tão linda, tão extraordinária, tão Mulher...



Tino

O Toque da Deusa


Virgem Numinosa


Toque Divino :


Mistério Vivo do Divino Graal animado pelo Fogo do Nada,
Tu a Diva Uma,
Que te desdobras para que eu seja Um,
Eu te saúdo em todas as tuas obras temporais e intemporais.


Deusa dos mil fogos
Eu Sou, o Sacerdote Louco de Luz, Simples de Espírito
Ébrio de Amor e de Beleza
Em Demanda da prece que concede dois serem Um.


Senhora das transparências
Faz com que
Eu possa contemplar o teu Verdadeiro Rosto,
O Rosto internal
Que trans-parece através do teu Rosto de Carne.


Númen imaculado
Abre o caminho de travessa, vazio e infinito
Que serpenteia na linha direita dos intervalos,
Ao teu Amante
Servidor das duas Virgens sagradas que fazem os mundos,
E desfazem o meu mundo.


Tu, o Outro é mais Eu Próprio do que eu próprio
E sem quem não sou
Faz-me conhecer
Os mistérios do Um que Eu Sou
Para a Celebração da Uma que Tu És
Acolhe-me no teu Santo Graal
E
Faz-me renascer Vivo e Verdadeiro.


AVE  EVA !

                                                                               

                                        Alain Blandin

segunda-feira, 7 de março de 2011

Ainda Artesanato


No próximo dia 5 de Abril, pelas 15:00, teremos o segundo Atelier de Artesanato.


Desta vez ir-se-á trabalhar o barro!

A pensar na Páscoa, fica uma proposta apenas para despertar o apetite!



Flash sobre a Actividade da Semana


Olá Professora Elisa!


Gostámos muito muito muito do Atelier deste Sábado!





Fizemos coisas lindas, mas tão lindas!




Quem poderia adivinhar que éramos tão artistas!


As técnicas não são difíceis....
Bom!
Nem sempre adivihávamos o efeito que iria dar...
No fim.... Valeu a pena!

Temos echarpes lindas, originais e.... exclusivas, com assinatura de autor(a)













O melhor trabalho foi:


domingo, 6 de março de 2011

O olhar fala?



Se o olhar fala?
Tenho a certeza que sim...
Ou melhor, percebo-o assim.
O grande desafio é interpretá-lo, decifrá-lo,
Perceber as suas nuances...
Os seus desvios de direcção para nada ser dito,
Os seus desvios de direcção para nada ser lido...
O olhar fala...
Sem meias palavras e sem palavras inteiras,
Porém com pensamentos completos.
Simples forma de um complexo e profundo diálogo,
Ainda que o revelar não seja o pretendido.
Vale a capacidade de vê-lo, percebê-lo...
Um mergulhar da íris na obscuridade,
Repleta de cores a colorir as páginas da vida...
Se o olhar fala?
Tenho a certeza que sim...

Tino

quarta-feira, 2 de março de 2011

Actividades em Março 2011



5 de Março
        - 15:00 – 1º Atelier de Artesanato animado por Elisa Fontes
Pintura em echarpes de seda

12 de Março
       -  15:00 - Preparação reservada aos terapeutas para a Clínica do Salto


19 de Março
       - 15:00 – Meditações e Técnicas
                      Debate sobre o Seminário “O Despertar”
  

26 e 27 de Março
– Seminário de Iniciação ao I Grau de Reiki



 Actividade permanente:
                     Hatha Yoga – 2ª e 4ª às 19:00






Nota: O Centro estará encerrado 7 e 8 de Fevereiro (Carnaval)