domingo, 29 de janeiro de 2012

Nas minhas mãos



Tenho, nas minhas mãos,
dois caminhos, duas decisões,

mesmo quando tudo parece desabar cabe a mim decidir,
 
entre rir ou chorar,
 entre ir ou ficar,
entre desistir ou lutar. 

Se o mar está revolto, posso ficar na praia ou sair 
para pescar e,
 talvez,
 nunca mais voltar.

Tenho, nas minhas mãos,
 o bem e o mal
e entre eles 
poucos pensamentos
um diz para fazer sem culpa, 

o outro pensa, reflecte e pede para esperar. 


Enquanto o mundo se perde em erros,
posso manter-me sereno,

sem medo
porque tenho a chave da minha vida nas minhas mãos. 

Então, hoje, sinto-me mais forte,
pois atravessei os desertos da alma

amei quem não me amou
 e deixei de lado quem muito me amava.


Atravessei caminhos nem sempre floridos,
que 
deixaram marcas profundas em mim
mas amei e fui amado.

Por isso, tenho nas minhas mãos bem mais do que a vida
tenho a dúvida e a certeza,
a esperança e o medo,

o desejo e a apatia,
o trabalho e a preguiça. 


E dou-me ao direito de errar 
sem me cobrar e

acertar sem me gabar
porque descobri
no caminho incertoda vida,

que o mais importante é o decidir 
e decidi,
de uma vez por todas

ser simplesmente feliz
e esse caminho não tem volta.

 


(desconheço o autor)

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Hoje

(Jim Warren)


Hoje, cruzei-me comigo. Não foi em vão. Vi os meus olhos nos olhos que escondiam as lágrimas, no sorriso que brilhou por detrás das nuvens passageiras do momento de perda, de fracasso ou de desilusão. Lá no fundo vi a Luz.

Mas afinal quem sou?

Não me conheço. Sei que sou filha do Pai, por isso tenho a Força e a Justiça plantadas em mim. D’Ele recebi o testemunho de Amor.

Sei que nasci da Mãe, por isso tenho germes de Sabedoria e de Beleza. D’Ela recebi o testemunho de Vida.

Tão grande é a minha herança, mas não a conheço ainda. Viajo pelos caminhos que se cruzam à minha frente, tomo decisões de rotas por vezes sem bússola ou orientação. Cruzo-me com seres que desconheço de olhar, mas que o meu coração reconhece como sendo iguais, embora de multíplices formas.

Quem sou?

Não me vejo, não me consigo ver... Sou cega para mim! Ouço rumores de como me vêem. Mas a Mim, desconheço-me.

Sou surda para mim, pois não ouço as palavras que digo. Saem, jorram, não sei de onde... Por vezes acutilantes como lâminas, outras doces como bálsamo em ferida aberta. De onde veem? Onde nascem? Que vida ganham assim que abandonam a boca que as pronuncia? E como são recebidas pelos ouvidos que as acolhem?

Quem sou? Quem somos?

Somos puro mistério e maravilha! Somos feitos de Nada e de Tudo, de Vida! Sorrimos e choramos conforme a paisagem à volta. Dentro de nós lagos tranquilos, montanhas brilhantes, serenidade e completude, Totalidade. Somos, no encontro marcado com o Ser ... um dia ... sem Tempo, no tempo que fazemos e tantas vezes escolhemos.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Uma longa ausência...

Um reencontro sem palavras, com imagem.

video

As questões levantam-se depois de vermos o video.

Aqueles que não acreditam que os animais também são capazes de ... amar (?), sentir (?) como podem explicar estas imagens?

Afinal o Amor não será mesmo UNIVERSAL, no sentido mais lacto do termo?


quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Actividades em Janeiro 2012



06 de Janeiro
- 18:30 – IV Aula do Curso de Iniciação ao Tarot (Repetição)
-       Faremos uma aula de reciclagem e resposta a perguntas

10 de Janeiro

Reabertura d’O Caminho da Montanha ao novo ano


14 de Janeiro
-       14:30  Aula do Curso de Iniciação ao Tarot



27 de Janeiro
-  18:30 - Seminário de Iniciação ao II Grau



Actividade permanente:
Hatha Yoga – 2ª e 4ª às 19:00

terça-feira, 3 de janeiro de 2012



A vida é longa para quem consegue viver pequenas felicidades.

E essa tal felicidade anda por aí, disfarçada,
como uma criança tranquila brincando de esconde-esconde.

Infelizmente às vezes não percebemos isso
e passamos nossa existência colecionando “NÃO”(s):
a viagem que não fizemos,
o presente que não demos,
a festa que não fomos,
o amor que não vivemos,
o perfume que não sentimos.

A vida é mais emocionante
quando se é actor e não espectador,
quando se é piloto e não passageiro,
pássaro e não paisagem,
cavaleiro e não montaria.

E como ela é feita de instantes,
não pode nem deve ser medida em anos ou meses,
mas em minutos e segundos.

Esta mensagem é um tributo ao tempo.

Tanto aquele tempo que você soube aproveitar no passado,
quanto aquele tempo que você não vai desperdiçar no futuro.

Porque a vida é agora.

Não tenha medo do futuro,
apenas lute e se esforce ao máximo, para que ele seja do jeito que
você sempre desejou.
A morte não é a maior perda da vida.


A maior perda da vida é o que morre dentro de nós enquanto vivemos."

Dalai Lama


(Enviado por Paula Passos)

domingo, 1 de janeiro de 2012

(O Anjo Andrógino de Mestre Lima de Freitas)




Feliz Ano Novo!

Que o Anjo guie!
Que a Luz se faça!
Que o Amour brote
Numa corrente de Vida infinita ...