segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Oração dos Animais

Ainda o tema "Nós e os Animais..."




video

Meu são Francisco de Assis
Protector dos Animais
Olhai por nós que rogamos
Vossa bênção e muita paz

Olhais os abandonados
Sofrendo agruras nas ruas
E os que puxam carroças
Açoitados nas ancas nuas

Pelos pobres passarinhos
Que não podem mais voar
Presos em rudes gaiolas
Só porque sabem cantam

E as cobaias de laboratório
Que sofrem dores atrozes
Em experiências terríveis
Que lhe impõem seus algozes

Pelo que são abatidos
Em matadouros insanos
Para servir de alimento
Aos que se dizem humanos

Pelos animais de circo
Que não têm mais liberdade
Presos em jaulas minúsculas
À mercê de crueldade

Olhai os bois de rodeio
E os sangrados nas touradas
Barbárie e crimes impostos
Por pessoas desalmadas. 

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Actividades em Novembro



10 de Novembro
-       14:30 – Aula do Curso de Iniciação ao Tarot - Grupo A

17 de Novembro
-       09:30 – II Parte do Seminário de Iniciação ao I Grau

24 de Novembro
-        14:30 – Meditação  seguida de
o   Apresentação e desenvolvimento do tema “Falar da Morte para falar da Vida” por Ana Luís Vaz

30 de Novembro
-       19:00 – Aula do Curso de Iniciação ao Tarot – Grupo B


Nota: o Centro estará encerrado a 2 e 3 de Novembro


Actividade permanente:
Hatha Yoga – 2ª e 4ª às 19:00

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Nós e os Animais, uma relação de Amor


OS ANIMAIS, PARA QUEM OS AMA, TÊM UMA IMPORTÂNCIA VITAL NA NOSSA VIDA.



Pode ser um gato, um cão, uma ave, um peixe, etc. Eles têm a capacidade de nos dar atenção quando estamos tristes, alegres ou noutra situação. Representam um espaço imprescindível na nossa vida. Sabem pedir, fugir, ter graça, outras vezes nem tanto. Há gostos incomuns, como por exemplo,  insectos, repteis, etc.  

No fundo, o que eles nos pedem é que tratemos bem deles e os amemos. Cada vez mais têm-nos dado exemplos de que se entendem bem, apesar de não serem da mesma raça. As fotos provam-no:


Hoje, com a evolução da tecnológica, muitas pessoas vivem sós por diversas razões. Ao adoptarem um animal, podem contar com certeza, com uma companhia preciosa que as ajudam a passar melhor o tempo.
Desde sempre que tive animais, e adoro gatos, mas também gosto de cães e outras  criaturas. Um gato, é muito territorial, mas ama o seu dono acima de tudo. Quantas vezes quase tropeçamos porque ele se enrola nas nossas pernas? Ou então um cão,  que não larga o seu dono? Tem ainda outras missões muito nobres, como guardar a casa, ser um cão guia, na polícia, etc. Outros animais como o cavalo e o golfinho, são uma ajuda preciosa no tratamento de doenças graves..

          
 



Nota: Esta é a história, de um sem abrigo, que durante o dia, protege o seu cão quando este dorme, divide os poucos alimentos com ele. Em contrapartida, este protege o seu dono na mesma situação.  

Cada vez mais se verifica que os animais “ditos” irracionais e/ou rivais, têm mudado a nossa opinião, como se pode comprovar pelas imagens acima. 

O Homem, é um ser egoísta, comodista e por medo, não se relaciona muito bem com os seus pares. No entanto, os animais têm vindo a mostrar que não têm de ser rivais. Há inúmeros exemplos de gatos, cães, aves, ratos, golfinhos, macacos, etc, que conseguem entender-se perfeitamente. Dão-nos exemplos todos os dias e mesmo assim não aprendemos. Eis alguns: 

Relativamente á relação Homem-Animal, podemos afirmar que o este se tem tornado cada vez mais cruel.inúmeros exemplos que poderia referir, mas vou citar apenas alguns: mais de 60.000 cães e gatos foram mortos (1)durante o Europeu de futebol  na Croácia e Ucrânia para mostrar  que é 
(1)
é um pais limpo …… e apetecível para os turistas…… Sem comentários. Também em França (2) foto), os cães, estão a servir de isco para alimentar golfinhos……
                        (2)                           

Em todo o mundo, nos países ditos” desenvolvidos” e “sub-desenvolvidos”os animais são maltratados,. São mortos barbaramente apenas por prazer, no trabalho, sacrificados para certos rituais de iniciação, abandonados, usados em lutas, circos, touradas (em Portugal, Espanha – touradas de morte, França, México), para experiências de laboratório, caça e pesca, etc.  

Consoante a cultura inerente a cada povo, região do mundo e outros factores, a grande maioria dos animais têm uma vida de sofrimento permanente. Nas zonas de mato e floresta, são mortos para saciarem a fome dos povos ali existentes. Na Ásia, aos ursos, por exemplo, é-lhes retirado um liquido da bílis, por se acreditar que tem certas características afrodisíacas. Na França, os gansos são “enchidos” até produzirem o famoso paté, deveras apreciado. Nos países da Europa do Norte, há uma cerimónia em que são mortas, milhares de focas bebes…. Sem comentários. Então na China, é uma questão que daria muito pano para muitas mangas.  

Hoje em dia os canis, estão cheios de animais que vagueavam nas ruas, ou foram abandonados pelos seus donos. Todos os Verões, milhares de criaturas são  largadas á sua própria sorte.   Não é justo, porque seres maravilhosos. Se é assim.  mais vale não ter um animal  do que tratá-lo mal ou  largá-lo num sitio qualquer. Mas não devemos fazer-lhes mal.

Por outro, lado, em certos países, como a América, Inglaterra, cai-se em extremos, relativamente aos animais. Há casos, que eles praticamente mandam em casa, e os donos obedecem. Nem… oito … nem oitenta….

Outros factos interessantes:


 Cão versus Gato    
          
A - Cérebro

Embora o cérebro do cão de porte médio seja maior do que um gato médio, o gato vence, porque o número de neurónios do córtex cerebral é maior.

B - Ligação com os donos

Relativamente ao cão, a ligação entre este o seu dono, é muito parecida a de uma criança com os seus pais. Fica feliz quando o dono está por perto. Ele tem instinto de grupo.

O gato não tem este comportamento porque é muito territorial e não sai muito da sua zona de conforto. Mas são mais independentes, e solitários, não deixando de gostar, á sua maneira do seu dono. 

C – Popularidade

Normalmente, o gato é muito mais popular que o cão. 

D: Compreensão

O cão, mesmo que tenha um nível de compreensão mais limitada, compreende   comandos dados pelo dono, outros modos de comunicação. O gato também compreende bem, mas são menos complacentes que o seu amigo cão. Por exemplo, quando a comida está escondida, o cão pede a ajuda do dono, enquanto que o gato  vai tentar buscá-la sozinho. No fundo, qualquer um deles, tem a sua estratégia para obter comida, o que também é lícito. 

Neste campo, o cão ganha, porque consegue orientar pessoas invisuais, surdos, etc. E tenho de dizer que é mesmo fantástico. Resolve os problemas sozinho.

E: Vocalização

Normalmente, o gato tem um certo tipo de miar, que chama a atenção do seu dono, ou com que lida com eles. Mas, apesar de ser limitado, é também subtil. Por exemplo quando ronrona intensamente, somado a um miado agudo, chama a atenção para o lado mais carinhoso do dono. O cão tem uma flexibilidade maior, o que lhe permite emitir mais latidos diferentes.  

F: Treino

O cão é mais fácil de treinar, devido á sua natureza. Aprendem de modo semelhante á das crianças, a partir do olhar, da vocalização, gestos. O gato, não está destinado a estas funções, pela sua natureza.


G: Super-sentidos

O olfacto, a audição e visão são os sentidos mais apurados tanto para gatos como para cães. Como estes, há muito que tem estas funções mais apuradas, ganham. Mas os gatos não lhes ficam atrás. Ambos têm habilidades impressionantes: ambos tem maior sensibilidade ao movimento, mas os gatos vêm melhor com menos luz. Também ouvem melhor que os cães.

H: Utilidade
Os cães podem ajudar na caça, a guardar rebanhos, casas e outros animais. Podem sentir o cheiro de drogas, bombas e ajudar cegos e surdos. Eles puxam trenós na neve, encontram pessoas enterradas na neve, em terramotos e podem até a prevê--los. Os gatos são bons contra a infestação dos roedores, protectores da casa a nível espiritual. 

No entanto, pesquisas mostrar que acariciar um gato/cão,  ajuda a reduzir o stress, a baixar a pressão arterial e a baixar o colesterol. Por outro lado, ter um cão, implica melhorar a qualidade de vida, já que o dono tem que fazer caminhadas diárias com ele, e entra em contacto com outros cães e seus donos, o que ajuda a imunidade da pessoa. 

Conclusão: O mais importante não é quem ganha ou perde, pois são ambos companheiros, amam o seu dono, embora de modos diferentes, e ao contrário do que está estipulado, eles podem conviver juntos, desde que sejam habituados. 


Há uma característica que o gato tem e creio que seja importante realçar:

- Tem uma personalidade forte.

- Não aceita a nossa falsidade e só admitem afecto com troca e respeito pela individualidade
- O gato não precisa de alguém para se sentir melhor. Ele gosta pelo amor que lhe é próprio, que é dele e dá-o se quiser. 
- O gato não pede amor. Nem dele depende. Mas quando o sente, é capaz de amar muito. 
- O homem não sabe ver o gato, mas ele sabe ver o homem. Se há desarmonia real ou latente, ele sente-a. Se há solidão, ele sabe e atenua-a como pode. Normalmente é ele que escolhe o dono e não o contrário. 

O gato é um italiano educado na Inglaterra. Sente como um italiano, mas comporta-se como um lorde inglês.



Os Benefícios de Saúde de ter um Animal de Estimação


Estudos realizados provam que: 

- Os animais de companhia completam um desejo básico ao oferecer amor ao e afecto incondicional. A dependência de nós faz-nos sentir necessários e importantes. Eles proporcionam uma amizade intocável e companhia sem julgamentos.  O melhor é que nos ajudam a viver mais felizes e saudaveis.

- Promovem a Comunicação

Vários estudos mostraram que a presença de animais de estimação, leva a uma “aproximação” social e melhora o carácter social das pessoas associadas a animais. Especialmente os cães, têm sido designados de “lubrificantes sociais”, uma vez que  facilitam a interacção social. 

- Ajudam a relaxar e a diminuir a ansiedade

Acarinhar um cão ou gato, é uma actividade rítmica e repetitiva, que pode actuar como foco  inconsciente de meditação.  A sua interacção demonstrou reduzir os indicadores de stress ao nível cardiovascular,  da tensão arterial, comportamental e psicológico.  

 Podem ser Terapeutas Silenciosos

Insconscientemente, os donos frequentemente falam para eles como se estes fossem humanos. Podemos descarregar os nossos problemas, medos e preocupações com eles sem recear ser julgado.  São sempre bons ouvintes, nunca dão  maus conselhos e proporcionam sempre todo o seu suporte.

- Proporcionam-nos Tempo de Diversão

São incomparáveis companheiros de brincadeira. Estão sempre prontos para correr atrás da bola, dar um passeio o u interagir connosco. Melhoram o nosso estado de saúde geral.  As pessoas que tem gatos ou cães, geralmente apresentam melhor saúde do que aqueles que não tem, e visitam muito menos vezes o médico do que  aqueles que não tem. 

- Podem ajudar-nos a superar a convalescença de uma Doença Grave

Estudos demonstraram que ter um cão tinha um efeito significativo na sobrevivência a um ataque cardíaco. Pacientes que entravam no hospital com ataques cardíacos, eram seguidos durante um ano. Os investigadores descobriram que os pacientes que estavam vivos um ano depois de sair do hospital, tinham grande probabilidade de ser donos de um cão e tinham mais hipóteses de sobreviver, dos que não tinham.

Conclusão:

Quer seja um adulto, criança ou idoso, os animais de companhia promovem um sentimento de bem-estar geral, diminuem os sentimentos de isolamento e solidão. Ajudam ainda a dar sentido á vida dos mais velhos. Tratar regularmente de um cão ou gato, proporciona ainda um sentimento de preenchimento interior. Crianças que têm cães, em geral são menos egocêntricas. 

Pessoas com problemas psicológicos sentem-se mais felizes se tiverem um animal de estimação para tratar. Casais com animais, têm tendência a ser mais próximos um do outro, sentem-se mais realizados no casamento e interagem mais vezes entre eles e com outras pessoas. 

Contrariamente ao que se acredita desde há muitos anos, a exposição precoce de crianças a animais diminui a probabilidade de estar vir a sofrer de alergias.  
Inclusivamente, acredita-se que a exposição da mãe à companhia de animais de estimação durante a gravidez, pode ser relacionada a uma maior resistência imunitário do bebe.

Na verdade, estamos ainda a dar os primeiros passos na compreensão de como os nossos amigos peludos enriquecem as nossas vidas. O mínimo que podemos fazer para lhes retribuir o seu amor, companhia e afecto e lealdade, é assegurar-nos que os mantemos na melhor condição de higiene e saúde, obedecendo a quatro regras fundamentais:

1 - Seguir um programa preventivo de saúde que inclui:
- uma alimentação adequada
- exercício regular
- protegê-lo do frio
- vacinação sempre em dia
- check-ups anuais junto do seu veterinário.
2  - Garantir que o seu animal de estimação tem a sua própria cama e que os recipientes de comida  sejam mantidos limpos e afastados  do local onde ocorrem as refeições familiares

3 - Lavar sempre as mãos depois de acariciar o seu cão ou gato


Os animais e a Espiritualidade

Os animais têm instinto apurado e são puros, além da linguagem própria de cada espécie. Eles são inferiores á raça humana, apresentam a liberdade limitada, pois não têm livre arbítrio.

A ciência afirma que os animais têm uma inteligência rudimentar conforme as  suas necessidades. Mas a espiritualidade vai mais além. Eles são seres que agem pelo instinto, seres que amam o ser humano, sentem as energias do ambiente e também humanas, são extremamente sensíveis a tudo que os rodeia.

Será que têm realmente a ligação directa com outro mundo? Os felinos podem, realmente, ver mortos e alertar os seus donos sobre uma presença espiritual? Já teve a impressão de que o seu animal o compreende, mesmo sem falar absolutamente nada? A impressão foi confirmada cientificamente. Alguns animais possuem hiperestesia indirecta, ou seja faculdade paranormal que eles conseguem perceber as mensagens telepáticas, principalmente dos seus donos. A conversa psíquica com os animais pode ser desenvolvida com treinos e para isso, já existe a psico-veterinária, isto é um ramo da Psicologia direccionada com os animais.

Na Antiguidade, os egípcios já acreditavam que os felinos conseguiam ver as almas das pessoas e aceder ao mundo dos mortos. Por causa dessa crença, quando um faraó nobre ou um sacerdote falecia, um gato era sacrificado e enterrado com o morto. A sabedoria egípcia dizia que o gato iria despertar da morte e levar o espírito para o além, seu destino final. 

Vale a pena lembrar que o gato apresenta a espiritualidade aguçada no olhar, já o cão, no focinho.

Os gatos assistem e sentem tudo. Jamais duvidem disso! Eles apresentam um visão aguçada, podem sentir energias electromagnéticas negativas do ambiente, pois sentem o local onde estão, sentem a energia do ódio, da tristeza. Não é á toa que eles têm sete vidas, pois são animais livres, espertos, independentes e caçadores. Eles são considerados bichos sagrados, pois transmitem alegria, vida, amor, energia positiva para as pessoas e afastam as almas mais escuras do ambiente, além de apresentar o poder da hipnose. 

O cão, também é considerado um animal maravilhoso para o ser humano. Ele é o verdadeiro amigo, o nosso Anjo da Guarda, pois não tem nenhuma maldade, é um ser puro, age por instinto, ama realmente o seu dono sem nenhum interesse. Ele sente, por exemplo, quando o dono está triste ou está prestes a morrer, ou seja, ele tem a premonição da morte, consegue ver aura das pessoas, se elas estão tristes ou  não, se estão com encostos e , muitas vezes, o cão assusta-se ao ver algo estranho

Ele também tem o poder de “quebrar quebranto”, quer dizer, afasta a inveja da sua aura, quebra energias negativas e elimina tudo de maldade humana que você apresenta. Dependendo do caso da maldição no ser humano, o cão terá queda de pelos ou até chegam á morte, em virtude da energia pesada sobre os seus donos. 

E o que acontece quando o cão morre? Quando um cão morre, reencarna na mesma família em aproximadamente dias, pois não são espíritos errantes  como nós,  que precisamos ficar um tempo noutro plano para acertarmos os erros cometidos. Que divino é o nosso animal de estimação! 

Vale mesmo a pena dizer que os cães e os gatos, são os amigos do homem em todos os sentidos. O golfinho, a baleia, à águia, a baleia, a tartaruga,  a coruja, o papagio, o pica-pau, por exemplo, também apresentam valores e atributos positivos: 

- a baleia e o golfinho pensam dezasseis vezes mais rápido que o ser humano, é por isso que são considerados os seres mais inteligentes do planeta

- a águia representa a força e apresenta uma visão mais aguçadas  de todos os animais

- a tartaruga tem a casa própria, passeia devagarinho 

- a coruja apresenta o poder da magia, consegue ver 360º e representa os nossos antepassados

- o papagaio também consegue  ver tudo e sabe tudo, pois a sua espiritualidade é aguçada

- o pica-pau representa a justiça na sua vida

Devemos respeitar os animais, pois eles são seres maravilhosos e estão aqui para nos ajudar. Todos nós devermos ter um animal, para nos proteger e fazer companhia.



Os animais têm Alma?

Este tema é bastante polémico. Foi estudado por muitos autores, como Chico Xavier, Ernesto Bozzano, entre muitos. Alguns acham que os animais também têm alma, e que é igual á do Homem. Entendo-se como “Alma”, a parte imaterial do Ser, o espírito, os animais possuem-na, mas de sob um ponto de vista independente da matéria que sobrevive ao corpo físico.

No livro “ Os Animais têm alma”, Ernesto Bozzano, filósofo e metapsiquista italiano,  apresenta 130 casos de materialização de animais, visão e identificação de espíritos de animais mortos, alucinações telepáticas percebidas ao mesmo tempo pelo animal e pelo homem, bem como várias aparições de animais sob a forma simbólico-premonitária Cada caso, é devidamente documentado e os comentários apresentados , como as suas conclusões, são de difícil contestação.

A respeito do seu livro, o autor afirma: “Ela consiste num primeiro ensaio para demonstrar, por um método científico, a sobrevivência da psique animal. É preciso voltarmos ao nosso assunto e concluirmos que a existência de faculdades supra- normais na subconsciência animal, existência suficientemente comprovada pelos casos que expusemos, constitui uma boa prova em favor da psique animal. Para o homem, deve-se inferir que as faculdades em questão representam, na sua subconsciência, os sentidos espirituais pré-formados, esperando que se manifestem no meio espiritual (como as faculdades dos sentidos estavam pré-formadas no embrião manifestando-se no meio terrestre). Se é assim é, como as  mesmas faculdades se encontram na subconsciência animal, deve inferir-se daí, logicamente possuem, por sua vez,  um espírito que sobrevive à morte do corpo.

Os animais têm instinto apurado e inteligência fragmentória, além da linguagem própria de cada espécie; tem um princípio independente que sobrevive após a morte. Esse princípio, individualizado algo semelhante a uma alma rudimentar, inferior á humana, dá-lhes instintos, liberdade de acção (apenas nos actos da vida material, assim pois, não têm livre arbítrio.

Ao morrer, cada animal é classificado pelos Espíritos, disso encarregados; enquanto aguardam retorno breve ás lides terrenas, via reencarnação. São mantidos em vida latente e sem contacto uns com os outros; ao serem reconduzidos á nova existência terrena, são colocados em habitats das suas respectivas espécies. (retirado do “Livro dos Espíritos”).Muitos autores espíritas, referem que diversos animais são encontrados na espiritualidade como cães, gatos, cavalos, aves, etc.

Alain Kardec registou que após a morte, os animais são classificados e impedidos de se relacionar com outras criaturas. André Luiz, um outro autor, refere o mesmo, dizendo que os animais não são destacados para alguma tarefa, entram em hibernação para logo reencarnarem.

Os animais que não são usados noutros serviços, não têm vida consciente, mas vegetariana, e isso responde á pergunta como vivem lá; sem qualquer relacionamento uns com os outros. Assim, não havendo acção de predadores, não existindo presas, mantidos em hibernação, não se alimentam, não lutam, não se reproduzem e não se deslocam.

Os animais têm instinto apurado e são puros, além da linguagem própria de cada espécie. Eles são inferiores á raça humana, apresentam a liberdade limitada, pois não têm livre arbítrio.

Devemos respeitar os animais, pois eles são seres maravilhosos e estão aqui para nos ajudar. Todos nós devermos ter um animal, para nos proteger e fazer companhia


Mary Rosas
20.10.12
  



(Enviado por Joaquim Figueiredo)

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Persistência

(Pintura: Ostad Mahmud)


Um mestre do Oriente quando caminhava viu um escorpião que se estava a estava se afogar. Decidiu tirá-lo da água, mas, quando o fez, o escorpião picou-o.

Pela reação à dor, o mestre soltou-o e o animal caiu de novo na água e estava a afogar-se. O mestre tentou tirá-lo novamente e o animal voltou a picá-lo.

Alguém que estava a observar a cena aproximou-se  do mestre e disse-lhe:
- Desculpe-me, mas é teimoso! Não entende que todas as vezes que tentar tirar o escorpião da água ele irá picá-lo?

O mestre respondeu:
- A natureza do escorpião é picar, e isto não vai mudar a minha, que é ajudar.

Então, com a ajuda de uma folha, o mestre tirou o escorpião da água e salvou-lhe a vida.

Continuou:
- Não mude a sua natureza se alguém lhe fizer mal; apenas tome precauções. Alguns perseguem a felicidade, outros criam-na. Quando a vida lhe apresentar mil razões para chorar, mostre-lhe que tem mil e uma razões para sorrir. Preocupe-se mais com sua consciência do que com sua reputação: a sua consciência é o que cada um é, e reputação é o que os outros pensam de si.
E o que os outros pensam… é problema deles.

(Enviado por Tuxa e João)

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Cartão de visita




AFIXADO À PORTA DE UM TERAPEUTA!!!!...

A enfermidade é um conflito entre a personalidade e a alma.
O resfriado escorre  quando o corpo não chora.
A dor de garganta entope quando não é possível  comunicar as aflições.
O estômago arde quando as raivas não conseguem  sair.
 diabetes invade quando a solidão dói.
O corpo engorda quando a  insatisfação aperta.
A dor de cabeça deprime quando as duvidas aumentam.
O  coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece  quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas  ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza.
A pressão sobe  quando o medo aprisiona.
As neuroses paralisam quando a "criança interna"  tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da  imunidade.
Os joelhos doem quando o orgulho não se dobra.
O câncer mata  quando não se perdoa e/ou cansa de viver.
E as dores caladas? Como falam em  nosso corpo?
A enfermidade não é má, ela avisa quando erramos a  direção.

O caminho para a felicidade não é reto, existem curvas chamadas  Equívocos,
existem semáforos chamados Amigos,
luzes de precaução chamadas  Família,
e ajudará muito ter no caminho uma peça de reposição chamada  Decisão,
um potente motor chamado Amor,
um bom seguro chamado  FÉ,
abundante combustível chamado Paciência.
Mas principalmente
um  maravilhoso Condutor chamado DEUS.

Autor desconhecido

(Enviado pela Tuxa e João)

Alteração de datas




Para esclarecimento das dúvidas colocadas pelos particiantes, confirma-se que a parte final da aula do curso de iniciação ao Tarot   do GRUPO A, prevista para 12 de Outubro às 19:00, será efectivamente no Sábado 13 de Outubro, com início às 14:30. A aula de 13 de Outubro será reportada ao próximo mês.
De facto, ao ser trabalhada a parte final da última aula, referente ao Arcano Maior XI, os temas a tratar serão por demais longos e plenos para que um fim de tarde seja suficiente.

Os assuntos em questão são:
·      Templários
·      Rosa-Cruz
·      Maçonaria
·      Martinismo

que constituem quatro corrente iniciáticas fundamentais.

Nota: Não é considerado uma “aula”, mas a parte final da última.

sábado, 6 de outubro de 2012

Pater Noster


No âmbito da Meditação, deixamos o trabalho desenvolvido pela Teresa Carvalho (Té). Embora longo, vale a pena mergulhar....
(Visão do Trono de Deus)


O Pater Noster, segundo Joseph. Marie Ragon (séc. XVIII) é uma oração anterior, em muitos séculos, a Jesus Cristo.
De origem caldéia, foi adoptada pelos Israelitas durante o seu cativeiro na Babilónia. A oração recebe o nome de Kodish e é semelhante ao nosso Pai-Nosso.

“Pai nosso que estais nos Ceús
Santificado e exaltado seja o nome do Senhor
Governe logo e em tempo próximo a casa de Israel
Governe aquele que fez o céu e a terra
Que desça a vida dos altos dos céus sobre nós
Receba as nossas orações com misericórdia, acolha as súplicas de todo o Israel
O Eterno é aquel que me envia sua ajuda nos dias de necessidade, matem a paz entre nós e em todo o Israel.
Que seja dito. Amém!”

Vamos, ao longo desta pequena exposição, procurar pereber cada petição nas diferentes correntes uma vez que é a oração mais preferida.

O que é a Oração?
A oração autêntica é um estado de receptividade e aspiração ao contacto com energias supra-humanas. Através dela o indivíduo invoca essas energias e afirma a disposição de unir-se a elas no interior do ser.
A oração desinteressada é a abertura incondicional, pura entrega, doação sincera à vontade da Consciência Suprema, que se espelha na vontade do seu eu interior. Mobilizando energias, eleva-as ao nível intuitivo ou além. Constituída no silêncio interno, alicerça-se na fé e na vigilância.
Mesmo sem o saber e sem nada direccionar, o indivíduo em oração estimula Transformações nos demais, uma vez que irradia clareza e lucidez para a aura planetária.
Sendo assim, a Oração é instrumento de serviço ao mundo e deve nascer na humildade para ser eficaz. É a base para obras evolutivas.

Pai-Nosso Católico

“Pai nosso que estais no Céu
Santificado Seja o Vosso Nome
Venha a nós o Vosso Reino
Seja feita a Vossa Vontade
Assim na Terra como no Céu.

O pão nosso de cada dia nos dai hoje
Perdoai os nossos pecados assim como nós perdoamos a quem nos tenha ofendido
Não nos deixeis cair em tentação, e livrai-nos do mal.
Amém”

Já todos conhecemos esta linha de pensamento por isso não vou alargar-me. Vou procurar abordar apenas o essencial nesta exposição.
Nesta Oração, Jesus ensina-nos o que precisamos desejar e pedir a Deus – tudo contido em sete pedidos que dividem em três relacionados directamente com Deus e quatro que são expressivos dos nossos interesses.
Nos três primeiros pedimos que
O seu nome seja santificado
O seu reino venha a nós
Seja feita a Sua vontade
pedimos tudo o que possa ser maior e melhor para a glória de Deus e para a nossa salvação – a Vida Eterna. Ou seja, que o nome de Deus seja conhecido e glorificado como Santo, que Seu reino se estenda às nossas almas e nos leve ao céu, que todos os homens, tornados seus filhos, lhe obedeçam. Também inclui a graça da fé, que nos faz conhecer e revelar o nome de Deus, da esperança, que nos faz desejar e obter o Seu reino, e da caridade, que nos faz abraçar a Sua vontade e obedecer à Sua lei.
Ao rezar estes pedidos devemo-nos lembrar: no do nosso baptismo, no do nosso crisma e no dos 10 mandamentos.
Nos restantes quatro pedidos pedimos:
pão nosso de cada dia
perdão dos nossos pecados
que nos livre das tentações
são a expressão exacta das nossas necessidades, tanto para o corpo como para a alma. São tudo o que devemos ter na Vida presente para alcançar a Vida Eterna. Têm por fim levar-nos a um estado que permita obter o que contêm os três primeiros. Também os podemos relacionar com os sacramentos. Assim, o pedido relacionamos com a Ordem e a Eucaristia – pedindo o pão dos nossos corpos pedimos o das nossas almas, a Eucaristia. O que faz com que pedissemos para nos dar padres para a rezar. O refere-se à Penitência, já que pedimos perdão dos pecados implorando a graça de confessar, sobretudo na hora da morte. No temos o Matrimónio e no a Extrema Unção.



Pai-Nosso Gnóstico

“Pai nosso que estais no Céu
Santificado seja o Vosso Nome
Venha a nós o Vosso Reino
Seja feita a Vossa Vontade
Assim na Terra como no Céu.

O pão nosso de cada dia nos dai hoje
Perdoai as nossas dívidas assim como perdoamos aos nossos devedores
Não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal.
Amém.”

A gnose, também chamada doutrina esotérica cristã (cristã porque foi ensinada pelo próprio Cristo e esotérica porque somente a passou a um grupo reduzido por ensinamento oral), é a ciência religiosa que tem o conhecimento dos três mundos: Divino, Espiritual e Material.
Mundo Divino  Deus é o Ser, é eterno e presente em todos os lugares. Embora Uno e Infinito existem nele três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo – Deus é uma Trindade.
Segundo esta corrente, Jesus não é filho de Deus mas um corpo ocupado por Cristo, um Ser celestial. Cristo era uma “emanação” ou projecção do Deus Supremo que vem ao mundo para salvar e revelar uma só ideia básica:
Do mesmo modo que Ele e Deus eram um, o gnóstico que albergue no seu corpo uma   porção de espírito divino é um com Deus.
Por ele, o gnóstico deve abandonar a matéria que o aprisiona (o corpo e o mundo com paixões e desejos) para voltar ao âmbito divino, de onde procede.
Cristo revelou ainda que a porção de espírito que habita nos corpos dos gnósticos formava parte de uma entidade dupla. A outra parte desse espírito esperava pacientemente, no céu, pela metade retida na terra – voltar à origem – o que ocorria com a morte do corpo.
Não há Ressurreição, é impensável porque só o espírito é imortal enquanto o corpo é pura matéria e esta não é imortal. A salvação não necessita da ressurreição da carne, que é física, é um acto espiritual: união da sua parte divina, que sobe ao céu, com a Divindade.
O homem é o espírito dotado da razão e liberdade combinado com uma alma e um corpo animal. O seu espírito é de origem celestial, que se veio encorporar na terra para aperfeiçoar a alma.
𝐻𝑜𝑚𝑒𝑚 = 𝑒𝑠𝑝í𝑟𝑖𝑡𝑜 + 𝑎𝑙𝑚𝑎 + 𝑐𝑜𝑟𝑝𝑜 𝑎𝑛𝑖𝑚𝑎𝑙
razão            liberdade
 
 


Neste sistema os sacramentos não existem como acções que transmitem por si mesmas a salvação a quem as recebe. São símbolos que encerram que o “espiritual” está a viver a união com a Divindade já nesta vida carnal. São cinco:
Baptismo ( da água, do fogo e do ar) – o espírito estava livre dos demónios, era sinal de ter sido eleito
Ordenação
Eucaristia – no pão e vinho via-se uma representação do “homem perfeito”
Extrema unção – símbolo da redenção e do domínio definitiva imortalidade; permitia a semelhança ao ungido por excelência, Cristo
Os pedidos na Oração:
dirige-se a Deus como Pai no mundo brilhante dentro do universo onde estão todos os epíritos
pede a santificação que é um estado de purificação
que venham os poderes de Deus, tudo o que existe está nel. O reino celeste corresponde ao pleroma (origem) de onde todos vierm e do qual todos têm saudade.
pede uma vida santa e verdadeira uma vez que esta nos conduz ao céu
que o alimento seja dado ao espírito e à alma
refere-se ao arrependimento para fazer a mudança e realizar no homem uma regeneração ou conversão
pede para deixar a vida material, não sucumbir aos impulsos da alma e livrar dos sofrimentos (dor, doenças, morte, reencarnações e vidas sucessivas).



Pai-Nosso – Rosa Cruz

“Pai nosso que estais no Céu
Santificado seja o Vosso Nome
Venha a nós o Vosso Reino
Seja feita a Vossa Vontade,
Assim na Terra como no Céu

O pão nosso de cada dia, dai-nos hoje
Perdoai as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores
Não nos deixeis cair em tentação
Livrai-nos do mal

Porque Vosso é o Reino, o Poder e a Glória para sempre,
Amém”

Esta filosofia ensina que o homem é um Espírito Triplice – Divino, de Vida e Humano. Tem uma mente através da qual governa o tríplice corpo que emana de si mesmo, para adquirir experiência – corpo denso, corpo vital e de desejos. Este tríplice corpo Transforma-se numa alma Tríplice – Alma consciente, alma intelectual e alma emocional.
Estes três corpos alimentam-se da impotência (falta de força) ao poder absoluto, omnipotência das três almas.
O Espírito Divino emana de si mesmo o corpo denso usando como alimento a alma consciente.
O Espírito de Vida emana de si mesmo o corpo vital extraindo como alimento a alma intelectual.
O Espírito Humano emana de si mesmo o corpo de desejos extraindo como alimento a alma emocional.
Os corpos e a mente são instrumentos do Ego. Da qualidade e condição destes depende o trabalho do Ego para colher experiência em cada vida. Se estas ferramentas foram ricas e activas há crescimento espiritual e a vida será produtiva no que diz respeito ao espírito.
Cada espírito (Divino, de Vida e Humano) expressa adoração à Divindade – Pai, Filho e Espírito Santo. Ou seja, o Espírito Divino tem reflexo no Pai, o Espírito de Vida, no Filho e o Espírito Humano no Espírito Santo.


Esta oração será uma forma de pedir melhoramento, crescimento e purificação de Todos os veículos do homem.
Assim teremos as sete petições, embora a primeira o não seja propriamente (dirige a oração):
Dirige-se ao Ser superior, a Divindade.
O Espírito humano eleva-se à sua parte, o Espírito Santo (Jeová) para o corpo de desejos.
O Espírito de vida reverência-se perante o Filho (Cristo) – oração do espírito de vida ao Filho para o corpo vital.
O Espírito divino pede ao Pai (aspecto mais elevado da Divindade) para a sua contraparte, o corpo denso
O Espírito de vida pede ao Filho pela sua outra parte de natureza inferior, o corpo vital. Este corpo é a sede da memória; aqui estão retidas e arquivadas lembranças de todos os acontecimentos passados (bons ou maus). Ao morrer, as recordações da vida ficam registadas nesses arquivos imediatamente depois de abandonar o corpo denso.
Pedir perdão pelas injúrias que tenhamos praticado e esquecer e perdoar aqueles que agiram mal contra nós acaba com todos os maus sentimentos e salva-nos dos sofrimentos “post mortem” e prepara o caminho para a Fraternidade Universal.
O Espírito humano (aspecto inferior do espírito) dirige-se ao aspecto mais inferior da divindade para corpo de desejos.
Os três aspectos do tríplice espírito juntam-se para o pedido mais importante, pela mente – que é uma ligação entre os três veículos do homem e o espírito (os três corpos juntos com o vínculo da mente são as ferramentas do espírito na sua evolução)
A Terminação da oração:
Porque Vosso é o Reino, o Poder e a Glória para sempre, Amém
Não foi dada por Cristo mas é a propriada como adoração final do tríplice espírito por se dirigir à Divindade.



Pai-Nosso pela Cabala

“O IOD criador que é em AIN-SOPH,
Que KETHER teu Verbo seja santificado,
Que TIPHERETH esplendor do teu reino emane seus raios,
Que IAVE Tua lei cíclica reine em MALKUTH como ele reina em KETHER.
Dai-nos em cada dia NESCHAMAH a iluminação de uam das 50 portas de BINAH.
Opõe a misericórdia infinita de CHESED às “cascas” que eu crio à minha “Imago”
Enquanto, ignoro a uma das 32 vias de CHOCMACH,
Eu emano o rigor de RUAH para meus irmãos.
Preservai NESCHMAH das atracções de NEPHESCH e livrai-nos de NAHASCH.


 
Pois tu é
Em                AELOHIM
RESCH. O Princípio
TIPHERETH. O Esplendor
IESOD. A Matrix


A Cabala (Tradição das coisas divinas) designa num sentido amplo a mística judaica e a doutrina esotérica.
Deus, originariamente Todo poderoso, teria criado o mundo segundo 32 vias misteriosas representadas pelas 22 letras do alfabeto hebraico e os 10 sefirot, emanações, representam o estado intermédio entre Deus e a criação.
Os mandamentos e o estudo da Tora levam à ascenção para o Divino, isto é, à reconstrução da harmonia entre o “mundo do além” e a multiplicidade do universo nascido do Uno.
A vida, auxiliada com estudo e oração, oferece uma via de integração activa e passiva na grande hierarquia divina da criação. Procura ajudar a alma a reencontrar a sua Divindade.


Aqui encontramos também os sete pedidos:
Dirige-se ao princípio gerador – IOD. É Deus no seu aspecto mais elevado – sem limites, o Infinito, o Todo Absoluto que está na Emanação, a Fonte Divina.
Dele vem a luz por tal seja santificada sua vontade. Dirige-se ao plano divino.
Que a harmonia e a beleza, que são o rosto visível de Deus, na manifestação material, iluminam o caminho.
Pede que haja na terra, plano físico, a lei do Deus criador, do Ser Divino. Que as suas regras rejam as nossas personalidades.
Que a compreensão de Deus (espírito de Deus) com as suas regras/leis ilumine a consciência humana, o coração – espírito. Através dessa consciência o homem pode subir por momentos ao plano superior.
Neschamah é a faculdade humana correspondente à ideia de Binah (compreensão). Será a alma superior, estamos no plano do intelecto.
Pede para afastar as “máscaras” que criamos, pela Graça (espírito de Deus) enquanto o Amor e a Sabedoria (Hocmach) emana da alma.
Ruach corresponde à alma inferior que se elevará pelo arrependimento – estamos no plano físico.
Pede que não deixe o seu espírito, consciência, cair nas tentações do corpo (Nephesch). Este é p veículo de Ruach pelo qual a mente é conduzida para a “queda”.
O crescimento do ser humano faz-se de Nephesch – corpo – elevando-se através de Ruach – alma – ao mais alto grau de Neschamah – espírito.
Pede também que nos livre da Serpente do Édem, que será correspondente ao Mal, à queda, abismo.


Conclusão:
Como ponto comum temos sempre uma Divindade à qual nos dirigimos para pedir protecção e ajuda para a nossa “passagem” por este mundo. O Amor e Perdão são pontos importantes para essa caminhada, seja qual for a filosofia escolhida.
Se fizermos esta oração não só rendemos homenagem a Deus como lhe pedimos pelas coisas espirituais que todos necessitamos, a Sua Graça. Terá como efeito espalhar a Paz e a Harmonia no espírito, o Amor na Terra e também unir o homem a Deus, ao mesmo tempo que une os homens entre si.



A título de curiosidade

Pai-Nosso Esotérico
A oração sagrada ensinada por Nosso Senhor Jesus o Cristo, O Logos é poderosa porque beneficia a alma e o corpo de todos aqueles que o praticam. O Pai-Nosso é dividido em sete petições, as quais conectam nossa pessoa humana a nosso Real Ser Divino.
Sabemos que temos sete corpos e também sete chacras principais, chamados no Apocalipse de Igrejas. Cada uma das petições, bem trabalhada e com profunda devoção, unindo Concentração e Imaginação Positiva, equilibrada, cura e “alinha” cada um desses chacras e corpos.
Devemos orar com a Consciência e com o coração. Assim, devotadamente, nos conectaremos mais e mais com nossa Divina Presença, o “Eu Sou Cristo”, o nosso Criador Interior, aquela Centelha Divina que é um fragmento glorioso do Exército da Voz, do Cristo Cósmico e Infinito.

Pai nosso que estais nos Céus
Introdução à oração sagrada. O Pai aqui é o nosso Ser Interno, que é, que existe, nos nossos Mundos Superiores de Consciência. Esse Céus são os nossos estdos de supra-consciência. É a primeira parte da Invocação, onde se Conjura o nome sagrado de Deus.

1 Santificado seja o Vosso Nome
Aqui devemos aprofundar a nossa entrega a Ele. Nesse momento a Graça de Deus começa a descer sobre nós, depois de invocado o Nome do Pai. Essa Graça, essa Energia Cósmica, começa a iluminar o nosso corpo espiritual, Atman, e o nosso chacra coronário. A cor é violeta.

2 Venha a nós o Vosso Reino
Aqui pedimos que toda a sua Presença e Poderes trabalhem sobre nós, para que sejamos Transformados. Corresponde ao corpo da Consciência (o nosso verdadeiro Lar é a nossa Consciência), ou corpo búdico, e o chacra é o frontal. As cores são o azul e o rosa.

3 Seja feita a Vossa Vontade
Imploramos que a Vontade d’Ele se faça, e que conheçamos essa Vontade para que a obedeçamos conscientemente. O Conhecimento (Gnose) ajuda-nos a Ter a verdadeira Fé, ou Fé Consciente. Corresponde ao corpo Causal, Manas, ou ainda, corpo da Vontade, também ao chacra laríngeo.

4 Assim na Terra como nos Céus
Devemos implorar o Pai para que conciliemos a nossa vida material com a espiritual, “viver no mundo mas não pertencer a ele”. Os céus são representados por um triângulo que desce e a terra por um trângulo que sobe. Essa harmonia forma a Estrela de Seis Pontas, a qual representa o chacra cardíaco. Corresponde também ao corpo mental.

5 O pão nosso de cada dia dai-nos hoje
Esse Pão é a energia curativa da Divindade que abastece a nossa bateria principal, que se localiza no chacra solar. Corresponde ao corpo astral.

6 Perdoai as nossas ofensas, assim como perdoamos ao quem nos tenha ofendido
Com essa Graça poderemos ter energia suficiente para os nossos karmas serem perdoados pelos Senhores da Justiça Divina. As ofensas verdadeiras correspondem, no mundo das energias, ao nosso chacra prostático/uterino. Corresponde ao Corpo etérico, ou corpo da saúde.

7 Mas livrai-nos, Senhor, de toda a ilusão e de todo o mal
Somente o nosso Pai Interno pode anular toda a energia negativa que tende a levar-nos à insconsciência e ao erro. Esse mal, energeticamente falando, corresponde ao nosso chacra básico, o qual é assento não somente da sagrada Kundalini, mas também, no seu aspecto negativo, ao Átomo do Inimigo Secreto.

Amém... Amém... Amém...
O Amém corresponde ao AOM oriental, e signifaca Eu Aceito, Faça-se, Cumpra-se, Realize-se. Ou, Que Assim Seja, Desejo que isso faça parte de mim.

Podemos fazer analogias entre o Pai-Nosso cristão e a oração da Abertura, do Alcorão islâmico. Esta oração islâmica compõe-se em sete partes e é uma invocação das graças do Todo-Poderoso, e também uma total entrega dos nossos destinos a Ele.

Surata da Abertura (Alcorão Sagrado)
“Em Nome de Deus
O Clemente, O Misericordioso
Louvado seja Deus, o senhor do Universo
O Clemente, O Misericordioso
Soberano do Dia do Juízo
Só a Ti adoramos, e só a Ti imploramos ajuda
Guia-nos à senda recta, à senda dos quais agraciastes,

Não a dos abomiados, nem a dos extraviados
Amém.”



Pai-Nosso em Aramaico
“Pai-Mãe, respiração da Vida,
Fonte do som, Acção sem palavras, Criador do Cosmos!
Faça a sua Luz brilhar dentro de nós, entre nós e fora de nós para que possamos torná-la útil.
Ajude-nos a seguir o nosso caminho, respirando apenas o sentimento que emana do Senhor...
...O nosso EU, no mesmo passo, possa estar com o Seu, para que caminhemos como Reis e Rainhas com todas as outras criaturas.
Que o Seu e o nosso desejo sejam um só, em toda a Luz, assim como em todas as formas, em toda a existência individual, assim como em todas as comunidades...
...Faça-nos sentir a alma da Terra dentro de nós, pois assim, sentiremos a Sabedoria que existe em tudo. Não permita que a superficialidade e a aparência das coisas do mundo nos iluda, e nos liberte de tudo aquilo que impede o nosso crescimento...
...Não nos deixe ser tomados pelo esquecimento de que o Senhor é o Poder e a Glória do mundo, a Canção que se renova de tempos em tempos e que a tudo embelza.
Possa o Seu amor ser o solo onde crescem as nossas acções.
QUE ASSIM SEJA.”



Pai-Nosso em Latim
“Pater noster, Qui es in caelis,
Sanctificetur nomem tuum.
Adveniat regnum tuum.
Fiat voluntas tua
Sicut in caelo et in terra.

Panem nostrum quotidianum
Da nobis hodie.
Et dimitte nobis debita nostra
Sicut et nos dimittimus debitoribus nostri
Et ne nos inducas in tentationem
Sed libera nos a malo. Amém.”