segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Mais um Ano




Hoje, 31 de Dezembro de 2012, marca o fim de mais um ciclo: é o último dia do calendário que, na sua maioria, o Ocidente segue, o calendário solar.

Para poucos é só mais um dia, para muitos é dia de boas vindas ao pequeno 2013 que nasce. De qualquer das formas não podemos deixar passar a data sem desejar um novo ciclo Pleno de Tudo: o coração de Amor, a mente de Luz, a Estrela da Força, da Coragem e da Beleza brilhe acima da cabeça de cada um, guiando e protegendo, o Corpo seja liberto e irradie Harmonia e bem-estar numa conjunção perfeita da obra-prima que é. Que os perfumes de rosa e de jardim exalem à volta de cada um e o arco-íris brilhe em céu azul profundo, indicando o Caminho.

Que a Vida seja Louvor e Evocação!

Para aqueles que seguem as Lunações, usufruindo do fluxo do Sol, marcamos esta data com a Graça da Mãe do Mundo, que Ela proteja e acolha em Seu coração cada filho seu.

Que sejam felizes!


sábado, 29 de dezembro de 2012

Fernando Pessoa on-line

(Pintura: Simon)
Os livros da Biblioteca Particular de Fernando Pessoa estão disponíveis gratuitamente online desde ontem à tarde no site da Casa Fernando Pessoa.


Até agora, só uma visita à Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, permitia consultar este acervo que é "riquíssimo", mas com o site, bilingue (português e inglês), e disponível em :


Com uma ligação à Internet é possível consultar, página a página, os cerca de 1140 volumes da biblioteca, mais as anotações incluindo poemas - que Fernando Pessoa foi fazendo nas páginas dos livros.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Coisas a desejar neste ... Natal

video
(Imagine - Glee)


Caminha placidamente por entre o ruído e a pressa, e lembra-te da paz que existe no silêncio. Tenta, na medida do possível, estar de bem com todos.

Exprime a tua verdade com tranquilidade e clareza. Escuta quem te rodeia, inclusive as pessoas desinteressantes e incultas; também elas têm uma história para contar.

Evita gente conflituosa e agressiva que tanto mal faz ao espírito. Se te comparares com os outros poderás tornar-te amargo ou arrogante, pois haverá sempre alguém melhor e pior que tu.

Regozija-te com as tuas conquistas e os teus projectos. Mantém vivo o interesse pela tua carreira por mais humilde que seja; é um verdadeiro bem, nesta época de constante mudança.

Sê prudente nos teus negócios – o mundo está cheio de armadilhas. Mas não feches os olhos à virtude que existe em teu redor, nem às pessoas que defendem os seus ideais e lutam por valores mais altos – a vida está cheia de heroísmo.

Sê tu próprio. Acima de tudo, não sejas falso, nem cínico em relação ao amor que, face a tanta aridez e desencanto, se mantém perene como uma haste de erva.

Aceita com serenidade a passagem do tempo, sabendo deixar graciosamente para trás as coisas da juventude.

Cultiva a força de espírito, para te protegeres de azares inesperados. Mas não te atormentes a imaginar o pior. Muitos medos nascem do cansaço e da solidão.

Mantém uma autodisciplina saudável mas sê benevolente contigo mesmo. És um filho do Universo, como as árvores e as estrelas. Tens todo o direito ao teu lugar no mundo. Poderá não ser claro para ti, mas a verdade é que o Universo está a evoluir como previsto.

 É importante, assim, que estejas em paz com Deus, seja qual for a tua concepção d’Ele, e em paz com a tua alma, sejam quais forem os teus anseios e aspirações no ruidoso tumulto da vida. Apesar de todos os enganos, dificuldades e desilusões, vivemos num mundo bonito.

Alegra-te. Luta pela tua felicidade.




Desiderata, 1927,  Max Hermann

(Enviado por Maria João Gonçalves)

domingo, 23 de dezembro de 2012

BOAS FESTAS





O pessoal de Amarante deseja um Santo Natal e umas excelentes entradas em 2013 a todo o mundo.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

A Mãe que Glorifica



Segundo a crença índia, em que o respeito pela Terra e pela Vida era parte crucial, o calendário não era calculado à volta do Sol, mas sim pela Lua.

A Lua é, na maioria das mitologias, a Mãe. Não é por ela que as noites são iluminadas, e que o Sol brilha indirectamente? Não é a Lua que controla as marés, a respiração da Terra? Os antigos sabiam bem semear segundo a Lua e colher na altura certa. O tempo de gravidez era contado pela Lua.... E muito mais!

O mês de Dezembro corresponde de forma aproximada, pelo calendário índio, à décima segunda lunação. Cultuavam a Mãe que Glorifica.

São vários os ensinamentos.

Ela ensina a partilhar a abundância como forma de manter a prosperidade, pois é também a Mãe da Abundância: o valor do dar é tão grande como o do receber. Devemos agradecer tanto aquilo que somos capazes de abandonar ou de nos desapegarmos como os dons que recebemos.

Assim se cria o ciclo do dar e receber permitindo a partilha.

Ensina também que os pensamentos negativos atraem magneticamente lições de vida difíceis: a negatividade rouba-nos a alegria. Deve ser transformada para desbloquear o que a experiência nos traz.

A agradecer a verdade que se revela na nossa vida e nos permite atitudes justas, que permite a cura e abre novos caminhos.

É através do louvor que os Filhos da Terra descobrem o que têm de melhor na sua natureza. Quando celebramos quem somos e damos graças pela vida que temos, abrimos o coração. A verdade que encontramos em cada experiência da nossa evolução espiritual marca um avanço no Caminho pessoal da Paz.

Dar graças por cada um dos nossos passos e encorajar os outros pelo louvor. Ao agradecermos o que eles realizam permite-nos prosseguir o movimento da humanidade para a sua “Unidade”.



Obrigada, Mãe, por me ensinares
A elevar o meu coração pelo louvor
Enchendo o meu espírito de alegria
Graças aos ensinamentos do Caminho da Beleza.

Ensinaste-me como cantar,
A regozijar-me, dançar e tocar tambor,
E como exprimir a minha gratidão
Pela abundância que virá.

Mostraste-me a magia
De uma mudança no espírito e no coração,
Uma atitude feita de sabedoria
Dada pela celebração da vida.

Eu canto a verdade do meu reconhecimento
Quando saúdo o Grande Pai Sol
E envio-te o meu amor à Terra Mãe
Pela força de vida que nos une.

                                                                                   Poema de Jamie Sams


quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Continuando em poesia...

video



Dizem que os poetas são os tecedores de céu,
Tricotam as palavras como flores
Deixando atrás de si mares de perfumes

Pintam os momentos
Com cores da alma
Retratos do que são e nos deixam em memória.

Cantam músicas de sons
Que por magia se juntam etéricos ou infernais
Num enlace perene, dança infinda

Como gostava de ser poeta,
Deixar rosas pelo caminho,
Perfumes de encantos quentes e exóticos,
Mares e memórias de fantasias de céus.

Pintar a alma com cânticos dos cânticos,
Som das esferas primordiais.
Palavras não ditas nem escritas...
Apenas, Ser Poeta!


(Video: O mar e tu, Dulce Pontes e Andrea Bocelli)

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Apontamentos de um Poeta...



A vida traz-nos também momentos felizes…
Por muita tristeza ou dor, que nos invada o coração, sentindo o sofrimento que grassa à nossa volta em tantos que revelam o seu íntimo da vida que lhes parece madrasta, sempre encontramos ocasiões especiais que nos preenchem e extasiam.
E naquilo como aqui, quem não tem momentos desses, captados pelos seus sentidos em locais e circunstâncias tão diferenciados?
Podem acontecer no convívio da família ou com amigos, na natureza, no teatro ou na dança, na obra do que se faz ou na beleza de um música… e sempre que o prazer aconteça…

Experimentamos desta vez ir ao encontro para  ouvir um poeta…
O poeta que é capaz de ver pela primeira vez o que de tanto visto ninguém vê.

Em que o seu acto poético pode ainda ser um instrumento de libertação do Homem, pela falta de “pão”, amor e justiça.

Que não se acomoda, nem se resigna, rompendo com a imbecibilidade e inércia, lançando “novas mensagens no tempo” com uma humildade e sinceridade tocantes.

Que o destino somos nós que o fazemos, e que nascer pobre não é uma fatalidade, face ao egoísmo e ganância da sociedade materialista que nos tem conduzido, impedindo o direito à felicidade… assim se exprime o poeta..

O poeta que procura reflectir sobre tantas coisas boas e menos boas que acontecem na vida, e sempre vale a pena viver, com coragem para resolver os nossos problemas e tantas vezes os problemas dos outros.

Só quer que cada leitor entenda as suas mensagens e todos fossem mais felizes…o poeta é apenas um instrumento para contrariar a maldade dos homens.

Que é preciso reavivar a comunicação entre as pessoas, e acrescentar o encanto do encontro pessoal com o LIVRO. “Os olhos também falam”. É preciso descobrir no olhar, sentimentos, tantas vezes vazios nas palavras.
…Nem só de pão vive o homem… e para aqueles que devem receber um pão, é preferível dar-lhes metade e outra parte de cultura, porque de certeza se continuarem no mesmo estado, vai permanecer a necessidade do pão da caridade, ou pior da piedade.

Sou feito dos livros que li e cresço nos livros que vou lendo… diz.
O livro pode não transformar o mundo, mas com toda a certeza pode mudar a vida do leitor…

 A obra já não é só minha. É do mundo…afirma!
“Escrevo a minha história, a minha ilusão, a minha aventura ou imaginação” !

Num mundo  cada vez mais desumanizado… o poeta e escritor lançou o livro “Encontro de Vidas”, desta vez um romance que apresentou, desenvolvendo os grandes temas da vida.
E esta, como toda a obra que constrói, é realizada com as pessoas e para as pessoas.

Dou ao mundo a minha vontade de vencer… O meu querer. Diz o poeta !
Não posso ficar calado, vendo a miséria que revolta, sinto a ganância que me choca.
Quero ser igual em todos os dias, para que saibam quem sou !
Quero dedicar meus poemas aos que sofrem as injustiças daqueles que ainda não entenderam que, ninguém conseguirá a felicidade enquanto produzir a tristeza no seu semelhante.

Posso dizer-vos que me preocupa o caminhar apressado das pessoas, sem tempo para pensarem. Todos caminham sem tempo para nada. A vontade de chegar, sem saber onde, na usura de tudo, que atropela e esmaga a esperança de viver.

E as crianças, que a sorte não privilegiou ao nascer, são apanhadas pela velocidade do tempo, na dor, na fome, na desgraça e na indiferença de quem passa.
A sociedade humilha as crianças e faz as pessoas que depois detesta.
Então o POETA, inconformado, grita na esperança que o mundo o ouça. ”Usadas porquê?” As crianças são o melhor do mundo…

Eu não sei, por quanto tempo o mundo vai continuar a praticar tanta injustiça.

Dou de mim tudo o que tenho, tudo o que sou…mas dou ….diz

E nós aqui vimos dar-vos o que ouvi e como senti…e deixar-vos um poema que nos legou:

Mensagem no Tempo

Mensagem no tempo
no tempo que fica,
em tempo de lamento de vida maldita.
Conversa mais conversa, palavras que o tempo apaga
promessa em promessa que conduz a nada!
Alertas que alertam opiniões gerais
para males que afectam classes sociais.
E o mundo continua alheio à sua dor
avança e recua inerte,
há muito que promete,
mas fá-lo sem amor!
Mensagem no tempo,
que o vento espalha no horizonte,
não fiques suspensa no espaço
vence montanhas, corta barreiras,
cerra fileiras, mas leva pra longe o meu abraço.
Mensagem no tempo
em tempo constante,
leva distante meu pensamento,
rasga as entranhas para vencer
e cala pra sempre meu triste lamento!
Se minhas palavras o mundo mudar
e morte causar à razão da pena
feliz vou partir quando a hora chegar
de minh’alma deixar a vida terrena.

Nota
Do encontro com o poeta escritor de Guimarães, Angelino Pereira (vide NetResenhado


Armando Guedes

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

A Dor...




O panorama da vida raramente é plano .

A dor aparece sem ser convidada, colocando montanhas no nosso caminho.

A dor implica mudança, e a mudança implica desafio. Contudo, as montanhas podem ser escaladas e os desafios podem ser enfrentados.

Cada um de nós é a obra- prima de um Criador amoroso, constituindo uma Integração extraordinária de mente e corpo, espírito e emoções. Quando uma ou mais dessas partes entram em desequilíbrio, a dor actua como aviso advertindo-nos de que temos que reagir.

Os desafios do sofrimento não oferecem soluções instantâneas. Oferece isso sim doces reflexões sobre como seguir qualquer percurso desde a dor até à cura. Este é um processo que não deve ser percorrido sozinho. Há coisas que se podem fazer para facilitar a caminhada. 

Há bênçãos que devem ser reconhecidas ao longo do trajecto.

Anne Fone