segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Partilha

"Ideo fugiet a te omnis obscuritas.
E se afastarão de ti todas as trevas."
Tábua de Esmeralda

Dizem que a vida é um espaço curto de tempo, mas não é verdade.
A vida é longa para quem consegue compreender: como diz o poeta "os encontros e desencontros que  a vida tem."
E só os loucos saudáveis de coração conseguem viajar através desse plano subtil.
... só os loucos saudáveis de coração conseguem compreender que:
a felicidade vive em cada passo, disfarçada, nas mais pequenas coisas...
Infelizmente, às vezes, não percebemos esses registos...
e passamos a nossa existência coleccionando amarguras ou nãos:
a viagem que não fizemos...
o presente que não demos...
a festa a que não fomos...
o amor que não vivemos...
o perfume que não sentimos.
Diria que é uma espécie de felicidade infeliz.
A vida!!!???
Ai…!!!
A vida é mais emocionante, mais estimulante...
quando se é actor e não espectador;
quando se é piloto e não passageiro...
pássaro e não paisagem...
que o diga Fernão Capelo Gaivota.
Só os loucos saudáveis de coração compreendem que a vida é feita de instantes,
e  que não pode nem deve ser medida em anos ou meses...
mas em minutos e segundos.
E,  que são esses pedaços de tempo, que…
transformam  a vida numa narrativa...
um tributo do tempo e ao tempo.
Tanto àquele tempo que  soubemos viver no passado,
quanto àquele tempo que sabemos que não devemos desperdiçar no futuro.
Porque a vida é agora...
Um louco saudável de coração é sensível...
 é aquele que não olha...
 mas vê... sente.
"Não tem medo do futuro...”
Sabe que  "A morte não é a maior perda da vida. A maior perda da vida é o que morre dentro de nós enquanto vivemos." (Norman Cuisins)


António Pinto

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

BOAS FESTAS

Olá a todos

Aproveito o espaço, a disponibilidade e o desejo para enviar a todos vocês os votos de

Um Santo Natal e Feliz Ano Novo

Faço os meus votos em nome de todos os amarantinos

Sejam felizes

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Actividades em Dezembro 2009


5 de Dezembro
     14:00 – Curso Gnose, Hermetismo e Cabala
  
12 de Dezembro
     14:30 – Práticas e Técnicas de Meditação e Auto-conhecimento
                  Últimos retoques na programação da “Feirinha de Natal”
  
19 e 20 de Dezembro
     Tarde de 19 e Domingo – À Procura do Despojamento – Feirinha de Natal

O Centro entra em intervalo de Natal de 21 de Dezembro a 4 de Janeiro de 2010.

A todos desejamos que esta Quadra seja de Luz no Amor!

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Os Sentimentos

Desde os primórdios da humanidade, que os laços afectivos (os sentimentos) são elos entre as pessoas. É aquilo que faz girar o mundo. Não importa em que lugar do mundo onde nos encontramos, raça, ou religião.
A verdadeira amizade pressupõe sinceridade e verdade entre os demais. Infelizmente o Ser Humano tem os dois lados da moeda. Por vezes julgamos que alguém com quem convivemos há muito tempo, acaba com trair a nossa confiança e ainda nos tratar como se nada tivesse acontecido. Nem sequer nos apercebemos se podemos ou não confiar na em quem está ao nosso lado. 
Julgo que tudo isto, tem a ver com a mudança de valores que vem acontecendo com a evolução dos tempos, da tecnologia, de uma série de circunstâncias. Nós hoje, estamos rodeados de tanta tecnologia, de tanta informação que comunicamos á distância, com os mais pequeninos aparelhos que nos levam a descobrir o mundo, não os sentimentos. Esses ficam para sempre para último.
Por exemplo a Net, tem muitas vantagens e muitas desvantagens. Tanto liga pessoas em todo o mundo (de várias nacionalidades, países, crenças), como podemos aprender as piores coisas. Através das redes sociais, a grande maioria das pessoas está no H5, Facebook, Netlog, etc. Na maior parte dos casos, serve para satisfazer um certo tipo de “interesses” cuja ponta do “iceberg” é a “amizade”. Em nome desta, fazem-se as coisas mais descabidas e sem sentimento. Então onde param os sentimentos? Onde está a essência do Amor, da Beleza da Vida? Em nome dela, as pessoas arriscam muito para nada. Apenas perdem a auto-estima, a sua dignidade enquanto pessoas.
Num mundo de tanta tecnologia, tanto desenvolvimento, a palavra amizade, não tem sentido. É apenas um meio de uns de se aproveitarem dos outros, sem escrúpulos. As pessoa acabam por ficar sós no meio de tanta máquina (computador, telemóvel, mp3, mp4, Ipod, etc.). Na verdade já nem se consegue criar elos. São frágeis e partem a qualquer momento. Hoje somos pessoas vazias sem sentimentos. Nem sequer nos queremos aproximar do outro. Não sabemos se ele é capaz de nos “escutar” e perceber o que sentimos.
A amizade é uma palavra vazia.
Lamento que isto aconteça, porque os sentimentos não mudam nunca. O que muda são as circunstâncias em que estamos, quer a nível interno, como externo. A amizade e o Amor são as forças que fazem girar uma vida.


Felizmente ainda tenho muitos Bons Amigos.
São esses que completam a minha vida e me fazem sorrir quase sempre.
Agradeço a todos os meus Amigos o facto de eles estarem presentes na minha vida.


Obrigada a todos.
Mary Rosas
23.11.09

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

À PROCURA DO DESPOJAMENTO (III)


A FORÇA DO AMOR
 “APOIO AO “ROSTO SOLIDÁRIO”


Vimos confirmar que o local onde decorrerá esta "nossa Actividade" será na Casa do Povo de Santa Maria de Lamas. A todos aqueles que disseram SIM vai o nosso bem-hajam!


A Casa do Povo situa-se na Rua de Santa Maria, junto da Igreja e do Parque (em frente, do outro lado da rua).


Resta-nos agora a nós dar as mãos, ao trabalho,  e mostrar a NOSSA PROCURA DE DESPOJAMENTO pela FORÇA DO AMOR.




segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Flash sobre a Actividade da Semana

Foram recebidos vários pedidos de esclarecimento sobre a troca de opiniões do próximo do 27 às 21 horas com os temas "Morte e Espíritos da Natureza".

Não houve qualquer abordagem anterior a estes temas em conjunto. Trata-se da continuação de discussões em Seminários de Reiki, particularmente do penúltimo em que prometi a reabordagem destes assuntos fora do âmbito de Seminário de Iniciação.

Não nos parece possível esgotar em algumas curtas horas dois temas tão vastos e ricos. Abrimos um precedente a futuras trocas de opinião.

Estamos conscientes de que esta discussão está demasiado próxima do Encontro e que será, para muitos, quase impossível a presença na Sexta e no Sábado (Encontros de Reiki). Fora proposto incluir estes assuntos no Encontro, mas dada a complexidade destes assuntos preferimos datas diferentes.

Uma óptima semana a todos!

Reflexão

"Ter um destino é não caber no berço onde o corpo nasceu,
é transpor as fronteiras uma a uma
e morrer sem nenhuma".

Miguel Torga
in Antologia Poética

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Histórias pelo Caminho

Hoje, um dia especial para alguém que foi um dos fundadores deste Centro, achamos por bem criar esta rubrica, histórias da nossa História.

Quem lê o pequeno resumo-apresentação do Caminho da Montanha não pode dar-se conta da riqueza deste micro-cosmos e das múltiplas situações que aqui se vivem. Daí nascer a ideia de partilhar um pouco estas pequenas caminhadas.

Para aqueles que não conhecem ainda a Montanha, começamos com um pequeno episódio.

Lê-se na apresentação do blog que no Centro impera "a boa vontade e a dádiva por amor". Esta impressão minimiza o Grande Espírito que flui. Ele envolve cada gesto, cada momento, cada etapa...

Hoje não vamos contar o nascimento deste recanto, mas vamos falar de uma fase que marcou e que nos deve marcar a todos na progressão deste locus.

Quando houve necessidade de alargar e criar uma sala onde exclusivamente passassemos  Reiki, libertando outro espaço para as outras Actividades, não tinhamos fundos para o fazer. Muitos, mesmo muitos, quiseram impor uma pequena quota/dádiva mensal para os utentes, fossem recebedores ou fossem terapeutas. A resposta foi NÃO! Depois, foi proposto que seria cobrada uma quantia simbólica por cada tratamento Reiki.  A resposta foi igualmente NÃO!

Não compreenderam e as pressões foram muitas. Prevaleceu o Espírito Livre que anima e animará o Centro.

As obras começaram. Acabaram. Hoje, com a ajuda de muitos, há muito que tudo está pago, sem quotas, sem dádivas forçadas. Sempre que foi necessário, e que é necessário, essa energia financeira - que permite neste mundo plasmar, construir obra - vem, chega-nos quase "miraculosamente", fruto da boa vontade daqueles que podem e querem.

Começamos a nossa história por este pequeno episódio, pois é retrato do que, esperamos, dê Vida e Força a este espaço. Que seja sempre um Cantinho fora do tempo quotidiano onde não existam as amarras do ter de, ser obrigado/a a para poder usufruir. Onde o material não impere.

Pensamos que no nosso Caminhar quando for necessário algo, o Espírito que sopra irá permitir que esse algo se concretize. Não vamos nós, com o nosso "pequeno" querer tentar encaminhar esse Sopro de Vida que anima e faz crescer este Caminho na Montanha do Ser. Claro que será necessário em momentos-chave a participação financeira de cada um, se quiser e puder. Mas essa participação será SEMPRE voluntária e no devido tempo. O "gatinho" agradecerá.

O nosso "gatinho" está presente para aqueles que queiram participar no corrente quotidiano, também importante e necessário. Mas no respeito do Espírito essa dádiva é sempre anónima e livre.

Este é um dos episódios neste âmbito. Há mais. Alguns serão contados nestas histórias breves, outros ficarão na memória.

Hoje gostaríamos apenas de dar uma amostra de que o fluxo do Espírito Sabe. Ele dá no tempo devido. muitas vezes não o que queremos, mas sim o que necessitamos.

Bem-hajam!

Alice Marques
20.Novembro 2009


segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Ao sabor das palavras...

Uma pessoa que estimo enviou-me um destes dias uma mensagem citando da obra " o senhor de Brecht" a passagem: o homem no meio da escada hesitava há vários dias entre subir e descer. Os anos passavam e o homem continuava a hesitar... subo ou desço? Até que certo dia a escada caiu". Tinha sido um dos seus alunos do 10º ano que a escolhera, comentando: "a incapacidade de decidir levou o homem a perder a oportunidade de chegar a algum lado".
Pensei como era extraordinário vindo de um jovem adolescente quando tantas e tantas vezes os adultos passam uma vida a hesitar. Como é difícil decidir entre o querer e o dever, entre o coração e a razão, entre a rebelia e o socialmente aceitável... E passamos dias, anos, sustentando o insustentável, guardando e carregando pedras na mochila das nossas vidas, mantendo um sorriso triste fixo no rosto-máscara incapazes de decidir se vamos viver a nossa vida ou a vida imposta, se optamos pelo ser ou pelo parecer /ter.
Subimos ou descemos?
Subimos à alma do Ser profundo, inefável onde não reina o medo, mas a Paz e o Amor?
Ou descemos ao jogo de bonecos-máscaras que brincam ao monopólio da vida pequena, trocam sentires por teres, sonhos por mentiras e traem o Infinito que são?
Como são especiais as oportunidades que se apresentam. Tão especiais como o minuto que nunca mais se repete... e deixamos passar no dilema do subir ou descer, paralisados, cristalizados.
E a vida corre, pois é movimento e, petrificados, deixamos passar a metamorfose que esperávamos há tanto: na cegueira da hesitação não reparámos que a oportunidade já passou, a vida passou...
Para quando o tempo de aceitar a mudança? De assumir o Ser que somos, perfeitos em Essência, deuses em potencial. Até à consumação muitas escadas se apresentam em que teremos de decidir se subir ou descer, agarrando a oportunidade que a Vida nos ofertou.
E se não permítissemos mais que a escada caísse em nossas vidas?

Alice Marques

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

A VIDA

Quando alguém deseja algo,
deve saber que corre riscos.
E por isso a vida vale a pena.

Paulo Coelho
(o Diário de um Mago, n.1947)

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Actividade

Como temos em perspectiva duas Actividades que consideramos bastante interessantes, mas que necessitam de inscrição prévia, agradeciamos que manifestassem opinião e interesse que suscitam.

Assim:

- Visita (O)Culta à cidade do Porto, a ocorrer durante o mês de Fevereiro. O nosso guia será o Dr. Manuel J. Gandra. historiador e escritor.


- Seminário sobre Taoismo a decorrer no Centro O Caminho da Montanha, com a duração de um dia e meio. Data: 10 e 11 Abril 2010. Responsável: Robert Ho Thanh.


Para mais informações solicitamos o vosso contacto para o email alimar@netvisao.pt ou ocaminhodamontamha@gmail.com ou então por telemóvel ao 919 929 999.


A concretização destas actividades depende bastante do número de interessados.


Bem-hajam!

Actividades Novembro 2009

14 e 15 de Novembro
       - Seminário de Iniciação ao I Grau

21 de Novembro
       - 14:00 – Curso Gnose, Hermetismo e Cabala
28 de Novembro
       - 14:00 – Encontro de Reiki para os Iniciados ao II Grau
       - 15:30 – Encontro de Reiki

domingo, 8 de novembro de 2009

À PROCURA DO DESPOJAMENTO (II)

Um flash sobre esta Actividade cujo objectivo principal é o Despojamento.

Vamos "fechar" o ano com uma experiência piloto do Centro: uma "feirinha, quermesse", algo nosso a inventar. A ideia partiu de uma nossa iniciada Reiki que vai necessitar de ajuda e apoio.

Creio que respeita o espírito do Centro que nos anima.

Vamos dar a mão a nós mesmos, vamos libertar-nos de um peso, quer seja na forma de algo material - uma peça qualquer - quer seja na forma humana. Vamos dar-lhe a forma de amor, envolver em carinho e ofertar a quem vier por bem.

A todos pedimos ajuda para uma mão na elaboração e depois a vossa presença nos dias 19 e 20 de Dezembro.

Bem-hajam!

À PROCURA DO DESPOJAMENTO (I)


À PROCURA DO DESPOJAMENTO
A FORÇA DO AMOR
 “APOIO AO “ROSTO SOLIDÁRIO”

De uma forma mais ou menos consciente, todos sentimos o peso do materialismo na nossa vida. Todos reconhecemos sinais que nos levam a endeusar o “ter”. Muitos vendem a alma para conseguir uma casa e um carro melhores que o do vizinho; alguns pedem empréstimos para viagens XPTO todos os anos; outros frequentam SPAS, saunas e quejandos à procura de um corpo perfeito e de companhias endinheiradas; outros ainda infiltram-se em ambientes em que os haveres estão acima de tudo.
Também na aquisição desenfreada de pequenas coisas encontramos marcadores da relevância que concedemos aos bens materiais, em contraposição à inexistência de preocupações espirituais. De facto, ansiosos pelo “ter”, atafulhamos a casa com utilidades de necessidade duvidosa e com inutilidades que só nos atrapalham, sobretudo na hora de as limpar e arrumar. E, de longe em longe, num lampejo de lucidez perguntamo-nos: Tanta coisa para quê? Por quê?
O consumismo, inerente à filosofia materialista, pesa, amarra, prega-nos ao chão. O consumo equilibrado, pelo contrário, provoca-nos uma sensação de leveza e liberdade. Essa sensação eleva-nos e pode ser tanto mais conseguida quanto mais formos capazes de abandonar os bens materiais, vivendo com simplicidade, sem haveres inúteis, que só alimentam uma vaidade tola.
Em consonância com o pensamento que acabo de expor, lembrei-me de que poderíamos fazer um exercício de despojamento que culminaria numa venda de Natal.

Quais os Objectivos?
1.     Ajudarmo-nos a nós mesmos em duas vertentes:
1.1.         Iniciar a aprendizagem do despojamento material;
1.2.         Saborear o gosto pela liberdade que o mesmo implica.

2.     Apoiar o “Rosto Solidário” (O.N.G.D).


Como podemos colaborar?
Oferecendo uma peça que tenhamos em casa e que até não nos faça falta.
Não vamos pensar naquele “bibelot” que já tencionávamos “despachar” para a primeira pessoa que aparecesse! Vamos procurar algo de que gostamos muito mas de que podemos prescindir.
E… visitar… receber….

Onde podemos entregar as peças?
As peças, devidamente acondicionadas, poderão ser entregues em:
1.     Centro de Desenvolvimento Pessoal, “O Caminho da Montanha”, Rua de Santa Maria, 545, Santa Maria de Lamas. Ao cuidado de Alice Marques.
2.     Em Castanheiro Redondo, Telões, Amarante. Ao cuidado Elisabete Teixeira ou David Francisco.


Onde e quando será feita a venda?
A venda, sob a forma de feirinha, quermesse e leilão, realizar-se-á na Casa do Povo de Santa Maria de Lamas, nos dias 19 – tarde - e 20 de Dezembro.

Oferecer uma peça de vestuário, de bragal… um objecto qualquer de que gostamos mas que é dispensável, põe asinhas nos nossos pés, injecta força no nosso coração e luz no nosso caminho.

Quem der ganhará ainda mais do que quem receber!
Vamos experimentar… A FORÇA DO AMOR!

sábado, 7 de novembro de 2009

Tu és especial...

Tu podes ter defeitos, viver ansiosa(o) e ficar irritada(o) algumas vezes,
mas não te esqueças de que tua vida é a maior empresa do mundo.
Só tu podes evitar que ela vá à falência.
Há muitas pessoas que precisam, admiram e torcem por ti.
É importante que sempre te lembres de que, ser feliz, não é ter um céu sem
tempestades, caminhos sem acidentes, trabalhos sem fadigas, relacionamentos sem decepções.
Ser feliz é encontrar força no perdão, esperança nas batalhas, segurança no
palco do medo, amor nos desencontros.
Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso, mas reflectir sobre a tristeza.
Não é apenas comemorar o sucesso, mas aprender lições nos fracassos. Não é apenas ter júbilo nos aplausos, mas encontrar alegria no anonimato.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios,
incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de ti mesmo.
É ter coragem para ouvir um "não".
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
É beijar os filhos, curtir os pais e ter momentos poéticos com os amigos, mesmo que eles nos magoem.
Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples que mora dentro de ti.
É ter maturidade para falar: "eu errei".
É ter ousadia para dizer: "me perdoe".
É ter sensibilidade para confessar: "eu preciso de ti".
Ser feliz é ter a capacidade de dizer: "eu te amo".
Desejo que a vida seja um canteiro de oportunidades para ti...
Que nas tuas primaveras sejas amante da alegria.
Que nos teus invernos sejas amigo da sabedoria.
É quando tu errares o caminho, recomeces tudo de novo.
Pois, assim, tu serás cada vez mais apaixonada(o) pela vida.
E descobrirás que ser feliz não é ter uma vida perfeita, mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância.
Aproveitar as perdas para refinar a paciência, as falhas para esculpir a serenidade.
Usar a dor para lapidar o prazer, e os obstáculos para abrir as janelas da inteligência.
Jamais desistas de ti mesma(o).
Jamais desistas das pessoas que tu amas.
Jamais desistas de ser feliz, pois a vida é um espectáculo imperdível.
Porque tu... tu és muito especial!!!

(Dr. Augusto Jorge Cury.)

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Pensamento do dia

A felicidade de um amigo deleita-nos.
Enriquece-nos.
Não nos tira nada.
Caso a amizade sofra com isso, é porque não existe.


(Jean Cocteau)

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Poema

Não importa o que é o mundo...
O importante são os teus sonhos.
Não importa o que és...
O importante é o que tu queres ser.
Não importa onde estás...
Importa para onde queres ir.

Não importa o porquê...
O que importa é o querer.
Não importa as tuas mágoas...
O que importa são as tuas alegrias.

Não importa o que já passou...

O passado?
Guarde na tua memória.

Nunca penses em julgar...
Não vejas sem ver,
olha com o coração

Não oiças,sem ouvir
Não toques,
sente. sente dentro de ti

Acredita naquilo que quiseres.
porque sem acreditares
não poderás ter
LUTA
mas luta mesmo
porque com determinação
e perseverança
poderás ser quem quiseres

Afinal o que importa nesta vida?
TU IMPORTAs.
TU.......
 
Mary Rosas
(Não sei de quem é autoria)

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Pensamento do dia

Há três tipos de pessoas:
as que fazem,
as que vêem fazer,
e as que perguntam o que aconteceu.

(John Newborn)

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Pensamento do dia

Quem conhece os outros é sábio,

Quem se conhece a si mesmo é iluminado.

(Lao-Tsé)

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Um grito de vida

Milhares de vozes que gritam
Nós só queremos viver

Neste mundo absurdo
Vive-se para morrer
Onde o sofrimento é tudo
As crianças continuam a nascer
Nascem e vivem de luto
Passam a vida a sofrer
E no entanto escuto
Milhares de vozes que gritam
Nós só queremos viver

À vida que passa
Ao tempo que foge
Não há sonho, nem ilusão que me faça
Acreditar no mundo de hoje
Que povoado por tão miserável raça,
Por corações de pedra que ignoram
Milhares de vozes que gritam
Nós só queremos viver

Vida,
Que nem sempre é viver,
Em cada dia que nasce,
Numa sociedade corrompida
Sente-se o medo a crescer,
Rodeados por um mundo hipócrita
É um acto heróico sobreviver,
No meio dos despojos da guerra
Que dia a dia nos obriga a combater,
A lutar por um lugar na terra.
Até hoje eu não entendo, como existem
Milhares de vozes que gritam
Nós só queremos viver

Depois de tanto sofrerem
Angustiados, acabam por morrer,
E jamais chegam a conhecer
A vida que tanto queriam viver.

(30/10/1988)

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Reflexão

Entre o real científico e o poético, o mediato e o imediato, há um traço de separação e união. Separa ou liga, ou liga separando, um conhecimento racional, apoiado em irracionais, a um conhecimento teológico supra-racional, porque excede o racional em que se firma, como o telescópio excede o olho.

A intuição, a inspiração, foi e continua sendo a primeira fonte de saber. Não é ela o espírito das coisas revelando-se, no homem, que adquire assim um cósmico sentido? A inspiração é a própria verdade ou realidade humanizada, a falar, a mostrar-se; é a Natureza feita voz, o inteligível tornado inteligência.

In "O Homem Universal" de Teixeira de Pascoaes

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Testemunho


Quem somos? Que fazemos? Para onde caminhamos?

Desde muito pequeninos que nos interrogamos acerca de tudo isto. No entanto as loucuras da vida, o crescer e o materialismo vão ofuscando e bloqueando a descoberta das suas respostas.

A nossa cultura e as nossas aprendizagens fazem com que o conhecimento de nós próprios fique parado, como que agarrado a um mito que nos incutiram desde sempre, ser o mais perfeito, o melhor e o mais apropriado. No entanto quando começamos a fazer perguntas que são entendidas como atrevidas, inapropriadas e fora do nosso âmbito cultural, há apenas uma coisa a fazer… escolher o que de facto queremos e pretendemos fazer connosco e com esta passagem por cá, a qual chamamos vida.

Não é fácil dizer não ao que connosco cresceu e ao que, pensamos, nos fez crescer. Hoje mais que nunca relembro as histórias antigas de perseguição e das fogueiras para aqueles que teriam sido intitulados como não obedientes às leis da altura; pergunto se a perseguição subtil que hoje vão fazendo, falo daqueles que se julgam donos da verdade, não será a mesma que houve no tempo da inquisição, em que corações nobres foram queimados, apenas porque amavam a Deus à sua maneira e não à maneira que seria pretendida pelos homens. Como alguém dizia “ serei sempre servo do meu Senhor e não de seus sacerdotes”.

Não é fácil demonstrar quem somos e o que sentimos, como sempre é mais fácil fazer de conta que está tudo bem.

Onde estão os corações nobres de outrora que não se importavam de morrer queimados por uma causa? Aqui refiro-me com tristeza a descobrir o facilitismo, a pouca coragem e a pouca força para lutar. Onde estão as pessoas que se agarram aos ideais e ao verdadeiro Amor?

Faço um apelo a todos, lutem, amem, demonstrem quem são, enfrentem tudo e todos, desde políticos a igrejas ou situações mais pessoais, vamos dar as mãos e sentir o que há em nós, um chamamento para o desenvolvimento da pessoa, do ser… que assim se encontre o mais belo, o esplendor de uma caminhada de encontro ao Sagrado, ao Divino.

Como poderemos fazer esta caminhada se vivemos da forma que não queríamos viver? Se se vive longe da pessoa que se ama? Se vivemos agarrados a religiões que nos amarram e nos fazem sentir fora de lei?

Porque não ser livre e viver apenas com o Amor que sentimos?

Um abraço a todos.

(Anónimo)


Flash sobre a Actividade da Semana

Hatha Yoga

Funciona no Centro um grupo de Hatha-Yoga. Os objectivos são a descoberta de si-mesmo através de posturas ou asanas e respiração.

As asanas são exercícios físicos que põem em trabalho acrescido músculos e glândulas, aqueles por estiramentos e alívio de pressões provocadas por más posturas e stress, as glândulas por compressão e descompressão (como se fosse um respiro) e que levam à libertação correcta de substâncias essenciais ao bem-estar físico e psicológico.

A respiração com o tempo vai permitir o controlo de emoções e consequentemente de situações mais difíceis no nosso quotidiano.

Esta disiciplina, Yoga, embora tendo raízes no oriente (Índia) não está ligada a qualquer religião ou prática religiosa.


domingo, 4 de outubro de 2009

Porque não tentar...

Amigos...

Sei que muitos de vós não têm o tempo disponível ou desejável para que possam dar a contribuição que desejariam ao nosso blog, a pensar um pouco nisso solicito-vos sugestões de futuros post's a publicar no nosso blog de forma a que possa suscitar/espicaçar por demais o interesse aos seus visitantes.

Quero definir algumas regras com vocês, nomeadamente:
1) Nada de publicidade.

2) O que podem enviar?
- pensamentos, poemas, mensagens, partilhas, dicas do dia a dia, escapadinhas de fim de semana, sugestões culturais (música, teatro, exposições), ou seja, a criatividade no seu expoente.

3) Como podem participar?
- enviar por e-mail as vossas sugestões para; ocaminhodamontamha@gmail.com

4) Não esquecer de mencionar as fontes e os autores das vossas sugestões e se pretendem permanecer anónimos ou não. De referir que essas mesmas sugestões para futuros post's estarão sujeitas a aprovação por parte da administração do blog antes da sua publicação.



sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Actividades de Outubro

3 de Outubro
14:30 – Dialogo e reciclagem Reiki

10 e 11 de Outubro
– Seminário de Iniciação ao I Grau

17 de Outubro
14:30 – Encontro para Práticas de Meditação, Sons...

31 de Outubro
14:00 – Curso Gnose, Hermetismo e Cabala

Actividade permanente:
Hatha Yoga – 2ª e 4ª às 19:00


Esperamos a vossa colaboração.
Agradecemos que não enviem publicidade.

Bem hajam!

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Com atraso mas com Amor

Há demasiado tempo que estou "ausente" deste espaço virtual.
As razões? Um retiro da escrita imposto pelo tempo que vivo.
Há um pedido de desculpas muito particular a um grupo de sete pessoas que nos dias que precederam o 11 de Setembro prepararam uma surpresa "felina" e belíssima, imbuída de carinho verdadeiro. A todos eles um grande bem-hajam de todo o meu coração. Bem-hajam pelo Amor que puseram, pelo trabalho escondido, pelo que disseram e pelo implícito.
A todos os que participaram na preparação e na festa um grande Obrigada. Gosto muito, mas muito de vocês. Fica também um carinho especial a todos os que gostariam de ter participado ao vivo e não puderam.
Que a Vida vos seja pródiga!

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Despojamento - a sublime aprendizagem

Não me parece que o caminho da montanha seja fácil para alguém. As veredas são muitas, com armadilhas, com descidas abruptas, com escaladas inesperadas. Eu não ambiciono chegar ao cume, mas esforço-me por fazer uma caminhada vazia de egoísmo, com muito amor e alguns sonhos entrelaçados.
Nos primeiros vinte anos de caminho aprendi a não fazer aos outros o que não queria que me fizessem a mim. Seguindo esta máxima considerava-me boa pessoa. Depois, com as obrigações familiares e profissionais tornaram-se raros os momentos em que conseguia “pensar”, mas pude perceber que tinha que expandir a máxima e teria que fazer aos outros o que gostaria que me fizessem a mim.
Entretanto, no meio de um labirinto perdi-me. As estrelas enganavam-me. A esfinge atrapalhava-me. Sentei-me a chorar. E as minhas lágrimas acabaram por inundar e a pouco e pouco submergir o labirinto, libertando-me.
E às voltas pela encosta, com quedas e arranhões, perdi a noção do tempo enquanto ganhava, creio, a mais autêntica noção de amor. Amor, forma de bem-querer sem nada esperar em troca. Forma de interesse profundo, com total despojamento.
Como vivo o amor?
Os relógios cansam-se de esperar por mim enquanto invento novas fragrâncias para presentear a minha filhota, que já não é minha, que nunca foi minha, porque as pessoas não têm dono e, como diz Gibran Kahlil, “ Vossos filhos não são vossos filhos. São os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma. Vêm através de vós, mas não de vós. E embora vivam convosco, não vos pertencem.”. Vejo-a, diariamente, por breves minutos, mas eu gostaria que ficasse comigo a tecer sonhos durante uma eternidade. Compreendo que esse é um sentimento egoísta, volto atrás e apago-o com uma borracha especial que inventei para os sentimentos menos nobres. Respiro fundo, facilito a partida e, desnudada de qualquer resquício de egoísmo, estou pronta para dar a vida para salvar a dela, se for preciso. E isto é fácil. É inerente à maternidade. Mais difícil é beber o despojamento necessário para aceitar os seus voos, para construir um ninho em que já não tenho o lugar principal.
Também no amor pleno homem/mulher o despojamento é muito difícil de conseguir, mas é possível, quando investimos na sua aprendizagem.
Qual de vós seria capaz de amar alguém à distância, durante uma vida? Qual de vós seria capaz de seguir alguém que não tem qualquer estatuto para lhe oferecer? (Lembram-se da inglesa que seguia Gandhi?) Qual de vós seria capaz de ir buscar a lua apenas para ver um sorriso nos lábios de alguém? Estes são exemplos de formas de despojamento. Se alguém respondeu afirmativamente a alguma destas questões facilmente será apelidado de louco. Por mim, não. Eu considero que bem-querer sem precisar de possuir exige muito de cada um de nós. Implica uma aprendizagem sublime. Mas confere a paz que pode conduzir à felicidade.
Ui, ainda falta tanto para chegar ao cimo da montanha!

Caminhante DSEP (Despojamento, Solidariedade, Esperança e Paz)

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

A Essência do Amor

Costuma-se dizer que o Amor é a coisa mais bonita do mundo.
E na minha opinião é verdade. Quando refiro este tema, refiro-me ao Amor Universal, entre homens e mulheres, crianças, amigos, pessoas em geral. Sem amor não se vive, mesmo que seja por um animal, algo que se gosta de fazer, etc.
Mas não é assim tão simples.
Amar implica dar-se ao outro, deixar-se amar, para se ser amado. No mundo onde nós nos encontramos, Amor” significa dinheiro, interesse, luxo, viagens, beleza física, carros, etc, … Há circunstâncias da nossa vida que podemos alterar, outras não. Mas naquelas que podemos ser intervenientes, temos o dever e a obrigação de promover essas mudanças para um sentido mais positivo da vida.
Acima de tudo, devemos amar-nos a nós próprios (com as nossas qualidades e defeitos, assim também em relação aos outros), para sermos capazes de amar as pessoas e nos darmos ao outro, seja ele quem for. No entanto, não é um processo fácil porque há sempre condicionantes a que somos sujeitos desde o dia que nascemos. A nós cabe a importante de missão de as transformar e torná-las em algo menos agrestes na nossa vida. Há que vencer também as nossas próprias prisões.
Eu julgo que ao longo do nosso envelhecimento, nos vamos apercebendo e das coisas que realmente são importantes. Todo é o resto já não tem interessa. Passamos a ter uma percepção diferente e então, ganhamos a capacidade de gostar, amar cada vez mais o nosso semelhante, mesmo que ele/a, nos magoe também, mas não nos podemos esquecer que apenas somos seres humanos que possuímos qualidades e defeitos.
Então o Amor flui de outra maneira, mais suave, mas mais intensamente, mais livre.

Um beijo muito grande

Mary Rosas
29.07.09

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Actividades em Setembro 2009

05 de Setembro
– 15:00 -Reabertura das Actividades. Encontro e práticas:
- Meditação, Sons ...

12 de Setembro
- 14:00 – Curso Gnose, Hermetismo e Cabala

19 de Setembro
- 15:00 – Encontro de Reiki

26 de Setembro
- 15:00 – Seminário de Inicação ao II Grau

Actividade permanente:
Hatha Yoga – 2ª e 4ª às 19:00

sábado, 15 de agosto de 2009

Além de mim

Todo o homem traz consigo a condição
De querer mais, sonhar e ser alguém
E ao percorrer a vida sempre tem
Anseios naufragados de emoção.

O meu viver se ergueu do próprio chão
E a vontade é o luzeiro de Belém
A guiar os meus passos mais além,
Abrindo rotas onde tudo é vão.

Quero exceder meu corpo tão terreno,
Quebrar o que me faz assim, pequeno,
Pôr a minha alma inteira em claro grito.

E é tão além de mim o que eu procuro
Que apenas sobre as nuvens, no mais puro,
Eu mato a minha sede de infinito!

Texto de Domingos F. Cardoso

Bjs

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Desapego

A nossa vida está intimamente ligada a pessoas, coisas, animais, crenças. Mas por isso acontecer, acabamos “escravizados” por tudo isso, criando uma “prisão interior” ainda maior. O desapego é libertarmo-nos destas coisas, no entanto sem deixar de amar, gostar das pessoas ou das coisas ou tudo o resto. É um caminho difícil, doloroso, porque se sente sempre a falta daquela pessoa que está connosco no nosso coração e na nossa vida.

A liberdade é o veículo que une as pessoas e as torna uma parte muito importante da nossa vida.

A vida, às vezes, prega-nos partidas e nós que estamos “amarrados” só aí é que sentimos o quanto estamos ligados às pessoas. Não nos apercebemos que podemos estar a sufocar outro com a nossa dependência. Temos de aprender a estar sozinhos e a contar connosco para os problemas da nossa vida, embora nunca se dispense o carinho e o apoio dos amigos e família – parte muito importante da nossa vida.

Por muito difícil que este “desapego” nos pareça numa determinada fase do processo, depois será muito mais fácil sermos nós e resolver as nossas situações e estarmos disponíveis para ajudarmos os outros. A nossa passagem por este mundo deveria ser feita de uma maneira muito mais simples e construtiva, sem prisões. No entanto, complicamos a nossa existência.

Se cá estamos, é para construir algo. Porque cada um de nos é muito importante e só nós fazemos a diferença na nossa existência. Escolher um caminho fácil ou difícil está na nossa mão, mesmo que isso implique sofrimento, alegria e determinação. Chegar ao cimo da montanha, não é fácil, mas tem as maiores compensações em termos pessoais e espirituais.

Os meus Amigos são o melhor que eu tenho. Obrigada por existirem na minha vida.


Um Beijo muito grande

Mary Rosas

21.07.09


segunda-feira, 20 de julho de 2009

A PARTIDA

Gostaria de partilhar convosco uma experiência de vida enquanto reikiana:

Um dia, em finais de Maio de 2008, um amigo telefonou-me e pediu-me que fizesse Reiki a um cunhado, a quem tinha sido diagnosticado um tumor pulmonar, tinha 28 anos e davam-lhe de 3 a 6 meses de vida… casado com uma colega minha, enfermeira, eram pais de uma menina de 3 anos.

Eu não o conhecia, mas já tinha ouvido dizer que era um homem com um feitio muito particular, acima de tudo, muito teimoso, que apenas fazia o que queria e nada sensibilizado para outro nível, como por exemplo, no plano espiritual.

Marcamos o primeiro encontro para ele receber Reiki, falamos muito e nesse dia tive a certeza que este jovem apenas vestia uma capa que o transformava nesta pessoa dura e insensível, porque por baixo dessa capa humana estava alguém especial, muito especial…

Fazia-lhe Reiki 2 a 3 vezes por semana, havia dias, que ele parecia perfeitamente saudável, outros que demonstrava a doença que o seu corpo carregava. O tempo foi passando, e as nossas conversas aconteciam com naturalidade, sobre a vida, a morte, o aceitar, o medo, a saudade, o amor por Deus e como ele O amava. Foi lindo ver os passos que percorreram este caminho, umas vezes vinha com a certeza que ia vencer a doença, outras vezes pedia para terminar o seu sofrimento e das pessoas que amava, falava sobretudo da filha, esposa, família, amigos…

O primeiro meio ano era passado, e, lá aparecia o meu amigo tocar na campainha da minha casa, sempre à espera que eu lhe dissesse: “ - vamos, estou à espera, então como está hoje?” Com dor, mas sempre com um sorriso dizia: “- estou bem, com dores e como sempre…” foi um excelente “cliente”, dias piores e dias melhores…passaram mais cinco meses. Apesar de tudo, teve sempre qualidade de vida, nunca foi hospitalizado, tinha as consultas no IPO, fazia os tratamentos médicos, estudava de noite e ainda ia trabalhando de dia, diga-se que teve a seu lado uma grande mulher, a esposa que sempre o ajudou e lutou lado a lado, com todas as forças e toda a fé.

Em finais de Março de 2009, já com o corpo muito cansado e debilitado, decidimos que eu passaria a ir a sua casa, para evitar o esforço da condução, porque ele ainda conduzia… e assim foi até 28 de Maio de 2009, apesar de ir a casa dele, ele ainda saía, aliás, dias antes da partida, tinha almoçado num restaurante com a família.

Assim, Maio chegou, e a minha inquietação aumentava, ele queria sempre receber Reiki, ficava melhor, a dor diminuía e muitas vezes passava, enquanto recebia sentia-se calmo e sem dor, mas a verdade é que, o momento da partida era próximo, a sua esposa, enfermeira, sabia-o, nós as duas falávamos muito, ela também me preocupava, fiz o possível para estar junto dela, precisava mais…

Véspera da partida, ficou desorientado (apenas neste dia), fui até junto deles, quando eu falava e lhe tocava, ficava mais sossegado, respondeu-me a algumas coisas, momentos que recordo com carinho. Quem lá estava, dizia que, comigo ele reagia diferente…para mim também foi diferente!...

Nessa quarta-feira, quando me despedi dele e da família, pedi que me telefonassem se fosse necessário, mas, liguei eu na quinta-feira de manhã, e, a esposa disse que tinha sido uma noite má, muito agitado e muitas dores. Desligamos e passado 5 minutos, ligaram-me a dizer que o meu amigo tinha acabado de morrer…

Quando cheguei a casa a esposa disse-me: - parecia que estava a espera que ligasses para se despedir de tudo e de todos.

Caros amigos reikianos, partilhei convosco este caso, para vos dizer que me interrogo muitas vezes. Tinha meio ano de vida, mas viveu 13 meses. Viveu mais que o tempo previsto, porquê? Viveu com qualidade de vida até ao fim, como? Não encontraremos respostas concretas, sei que recebeu cerca de 100 horas de Reiki ao longo deste ano, sei também que durante as sessões de Reiki sentia-se bem, e que este bem-estar era sentido por mais tempo. Mas, nada sei… Agradeço à Vida e a Deus.

Já vi morrer familiares, amigos e doentes. Já segurei na mão de algumas pessoas enquanto expiravam pela última vez, sou enfermeira, não é? Mas assistir à morte, à partida de alguém que se acompanha enquanto reikiana, não há comparação possível, só vos posso dizer que é diferente, a dor não é maior, mas o sentir é algo transcendente, não há palavras…

Durante este ano, partilhei com a Mestre muitas situações deste caso, precisei da sua ajuda, para o conseguir enfrentar como reikiana, e quando pensava, sou enfermeira, tenho que saber agir e actuar… a verdade é que ali era reikiana e, na presença do meu amigo, estava bem, mas depois, depois necessitava partilhar, que alguém me ouvisse, apenas me ouvisse, era a Mestre que o fazia e que me repetia vezes sem fim: - não és só enfermeira, és também reikiana, o sentir é diferente… De facto é…

Bem haja o meu amigo, partiu em paz rumo à casa que a todos pertence.
Um beijo grande a todos e obrigada por me dispensarem este bocadinho.

Elisabete Teixeira
20 – 07 - 2009

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Citação

Somos atraídos pelos cimos, mas não pelos degraus que conduzem até lá; de olhos fixos na lua, de bom grado caminhamos na planície.

Johann Wolfgang von Goethe

terça-feira, 14 de julho de 2009

Tu...

Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi noutras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida.

E a minha triste boca dolorida,
Que dantes tinha o rir das Primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!

E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!

JB

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Flash sobre a Actividade da Semana

Reiki

Reiki, a Energia do Universo, Energia de Vida no sentido mais sagrado do termo.... A Energia "que faz sorrir", como dizia uma criança.

Este fim de semana a Actividade do Centro foi Seminário de Iniciação Reiki. Mais seis pessoas podem usufruir para si e permitir que, através delas, outros usufuam de Vida. Tiveram formação base sobre si mesmas, o que é a Vida, este Universo que habitamos.... Enfim, um primeiríssimo passo para o longo Caminho de reflexão que se levanta diante de cada um.

No fim do dia de Domingo, iniciaram-se ao Reiki. Bem hajam!

No próximo Sábado, 11 de Julho, teremos o Encontro de Reiki em Castanheiro Redondo, Amarante. Estamos todos convidados.

Não querendo que este blog se torne uma "troca de galhardetes" gostaria de deixar uma palavra aos amarantinos que tanto têm trabalhado também para o crescimento d'O Caminho. Por vezes, raras, ouço uma palavra de tristeza por se sentirem tão longe, por não poderem participar nas Actividades sediadas por Terras de Santa Maria.

Porque o grupo de Amarante já conta com quase 30 elementos, pensamos que a partilha seria óptima. Este sábado Encontro por lá, outro dia encontro por aqui... Todos temos a mesma harmonização, todos partilhamos a Energia de Vida, e também a Energia d'O Caminho da Montanha.

A todos, um muito obrigada pelo caminho que fizeram até Santa Maria de Lamas, que continuam a fazer... pelo desejo de partilha e união... pelo exemplo que constituem... Continuem... precisamos de todos, pois todos são poucos para a tarefa a realizar!

Bem-hajam!

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Partilha

A vida moderna exige muito de nós, transforma-nos em “robots andantes”, obedecendo a regras. Não temos tempo para sermos pessoas, mas coisas. Daí que muitas vezes perdemos o rumo das nossas vidas.

Apesar de tudo também na vida, há momentos muito felizes e outros muito difíceis de ultrapassar. Mas há uma força divina que intervém quando estamos prestes a desistir de lutar por nós próprios, há uma voz, um sorriso, um abraço que nos levanta e nos diz: “ tu vales a pena”, “és importante ” ou “ eu gosto de ti”. Nesse momento damos graças a Deus por termos Amigos e Família que nos “toca”, nos sorri, nos escuta apesar de muitas desilusões e perdas que passamos.

A nossa missão na vida é muito complexa. É descobrir qual o nosso caminho, a maior parte das vezes através do sofrimento e da dor. Mas depois tornamo-nos imunes e encaramos tudo como um desafio a vencer. É um caminho difícil, doloroso, mas que nos permite crescer enquanto seres humanos.

Mesmo que a nossa vida seja difícil, a nossa obrigação é sermos felizes e lutar sempre, mesmo que na exaustão. É através da partilha que conseguimos chegar ao cimo da montanha, construindo o nosso caminho da melhor forma que sabemos e podemos. Mesmo correndo o risco de “escorregar” muitas vezes, o Ser Humano erra muito, mas tem de aprender até acertar.

Por isso o Amor e Amizade são essenciais na nossa vida. Implica desapego, respeito e carinho em relação ao outro. E sobretudo, aceitando que o outro não quer o mesmo que nós. O seu caminho implica outras direcções, mesmo que nós não estejamos incluídos nele.

Obrigada, Meus Amigos e Amigas por existirem na minha vida. Sinto-me a pessoa mais rica deste mundo, apesar de nem sempre conseguir sorrir, mas não estou só.
Bem hajam.


Mary Rosas

06.07.2009

domingo, 5 de julho de 2009

Reflexão

A terra não nos pertençe,
foi-nos emprestada,
para deixar-mos aos nossos filhos,

por isso,

ou construimos,
ou destruimos.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Perguntas...

Mar de Emoções...

Pelo Caminho têm passado pessoas que buscam... bem-estar, respostas, afecto, atenção....

Neste princípio de milénio, de século, as mudanças na sociedade aparentam ser enormes. O Planeta tornou-se mais pequeno pelas comunicações rápidas, deslocações acessíveis, um estilo de vida mais "cómodo".... enfim, aparentemente a vida quotidiana está facilitada. No entanto, paradoxo!, há cada vez mais solidão, mais carências, mais dúvidas. Porque será?

O mar das emoções está agitado. Buscam no Caminho a saída para o tunel das mil perguntas, dúvidas, carências .Busca-se sobretudo a atenção e o carinho. Um naco de Amor!

Tentamos que em cada momento o passeio pela Montanha se torne um preencher de ausências: Beleza, Amor e Carinho. Mas, nós, nós também somos humanos, erramos, temos as nossas próprias carências, perguntas........

Em que diferimos?

Talvez tentemos, apesar das turbulências, aprender com o Outro, aprender a Dar, a ser Humildes e, acima de tudo, conhecer quem somos, porque somos, ir além das nossas forças, dos nossos limites e maus momentos. Erramos, sim... muitas vezes! Vamos abandonar porque erramos? ou tentamos uma e outra vez o Contacto com o Eu Sou, a Centelha divina em cada um de nós, e recomeçamos do zero, mais uma e outra vez...?

Todos temos uma vida paralela, de família ou solitária. Agimos pelos valores que ACREDITAMOS, que podem ser diferentes dos valores de outrem.

E somos julgados!

Quem pode julgar se não tiver um conhecimento íntimo e integral de si mesmo? dos factos? das razões? Quem pode acusar, pois não errou? Quem pode ser mais puro do que o Cristo que se recusou acusar e defendeu mesmo quem era acusado? Ele teve a Coragem de ser diferente! Quantos de nós O aceitariam se Ele viesse de novo com as roupagens do nosso tempo?

Sim, estamos pelo Caminho. Somos diferentes? Talvez! Poucas são as palavras neste mar de emoções que somos Aqui e Agora.

Na Montanha tentamos dar a mão, ligamo-nos pelo Amor que não tem palavras, só pode ser sentido.
N'O Caminho não somos pessoas, somos um Espírito que sopra... pela Beleza, pelo Amor e, um dia, pela Sabedoria

Alice Marques

domingo, 28 de junho de 2009

Para reflectir

Tantas vezes nos queixamos...
Tantas vezes não arriscamos por medo...
Encontrar-se é um risco... encontrar o Amor é Vida....
Dádiva, pois nada mais somos do que uma Dádiva de Amor



video



sexta-feira, 26 de junho de 2009

Flash sobre a Actividade da Semana

Curso de Esoterismo
- Gnose, Hermetismo e Cabala

Professor: João Luís Susano

Um curso de 12 aulas, divididas por 3 módulos.
Frequência: uma aula mensal.

O curso versa três partes do Esoterismo abordados de uma forma Tradicional.

Já no módulo Cabala, amanhã teremos a III aula deste tema. Como as férias de Verão se aproximam, este curso será retomado no Mês de Setembro.

Cours d'Esoterisme, Hermetisme et Kabbale

Professeur:_ João Luís Susano

1 cours divisé en 3 modules dans un total de 12 leçons.

Le cours comprend trois parties de l'Ésoterisme dans une perspective de la Tradition.

Déjà sur le module Kabbale, demain aura lieu la troisième leçon sur ce thème. Comme les vacances d'été approchent, ce cours sera repris au mois de septembre.

"Um mundo diferente"

Um dia eu subi um monte,
Lá no alto a vida parecia mais suave,
Viver, afinal não era tão dificil.
Lá em cima, perto de tudo e do nada,

Mas longe da confusão, do medo.
As nuvens passavam de leve,
Como era bom sentir a brisa no rosto.
Ali, só existia eu e o meu mundo,
Nada nem ninguém o podia destruir.
Um mundo só meu,
Um mundo enorme e belo.
Um mundo onde viver era agradável,
Um mundo onde era permitido sonhar.
O terror, a hipocrisia, o cinismo,
A poluição humana não fazem parte dele.
O meu mundo crescia,
A minha alegria era contagiante.
E um sorriso novo vai nascer em cada rosto,
E todos os seres se vão amar,
Mais ninguém precisa de fugir,
No meu mundo não há presas,
A andorinha pode voar sem temer o falcão,
E todas as manhãs o sol vai nascer
E as águas vão correr,
Por entre rios e oceanos.
Como é bom ver a vida se fazer.
Hoje o sol vai nascer,
Pena que o meu sonho tenha que morrer.
Cada dia que começa,
Acaba com o sossego e a beleza dos sonhos.
Chegou a hora do falcão, dos medos,
Aqui, viver é dificil.
Pois, este mundo não é o meu.
Embora o sol continue a brilhar,
Ninguém pára para sentir a brisa,
Ninguém pára para amar.

Ester Ribeiro
(20/05/1988)

quinta-feira, 25 de junho de 2009

De Amarante...


Olá a todos,

Dirijo-me a todos que fazem parte d`”O Caminho da Montanha”, tentando deixar o meu sorriso como prova sentida da minha gratidão pela vossa existência, digo vossa existência, porque se assim não fosse o centro não existiria.

Pretendo dar um beijinho especial aos mais “antigos”, porque são vocês os alicerces que suportam as colunas de ontem e as pedras de hoje… eu sentindo-me com a certeza que sou uma pedra, felicito-me por tal. Não há palavras que identifiquem e muito menos que exprimam o que O Caminho da Montanha representa no caminho da minha vida, isso será tão somente e apenas um sentido e um sentimento que habita em mim e dentro de mim, que apenas eu compreendo e quantas vezes eu não o consigo compreender…simplesmente aceito e dou a importância ao que o momento me permite dar.

Há um grupo “O Grupo de Amarante” do qual me orgulho de o representar e agradeço à vida, por ter levado estas 25 pessoas comigo. Muitas vezes interrogo-me como aconteceu e porque está a acontecer… não sei…sei que o que senti e sinto nesse “cantinho” é bom e bonito demais para ficar apenas comigo enquanto amarantina, então tive e tenho que partilhar as maravilhas que a vida me dá com as pessoas que amo, daí O Caminho da Montanha ter recebido 26 pessoas que se intitulam como “o grupo de Amarante”. Obviamente que é um grupo com vontade de avançar, tanto como um grupo aumentando em número, como individualmente, aumentando o seu conhecimento e aceitando o crescimento interno e interior que apenas a cada um diz respeito, a estas pessoas que eu amo e admiro, deixo o meu carinho, e, agradeço por terem confiado e acreditado, tenho a certeza que no coração de cada um “O caminho da Montanha” é transportado e demonstrado a cada momento, pela atitude, pelo estar e pelo aceitar do que a vida dá a cada instante. Bem Hajam…

A todos os que nos receberam e que permitiram que nos integrássemos como parte de “Lamas” o nosso profundo reconhecimento.

Em Amarante existe um ditado popular que se usa com muita frequência: “Os últimos serão sempre os primeiros”, daí a última pessoa a ser mencionada será a nossa única e doce Mestre Alice Marques, para ti não há com certeza palavras, apenas entendo que com a nossa atitude perante o centro e perante ti, poderemos demonstrar o que representas…Apetece-me dizer que “és”… em meu nome e em nome de todos em especial dos amarantinos Obrigada e Bem Hajas por permitires a existência do Centro “O caminho da Montanha”, local que é muito mais que físico, sinto que está para e por nós, mas mais importante será neste momento estarmos também para e por “ele”.

Beijo Doce e Grande para todos sem excepção

Elisabete Teixeira
(Amarante – 12 de Junho de 2009)

Perguntas...

Hoje falaram-me de procura da felicidade. E disseram que não era fácil, dava muito trabalho.

Eu pergunto-me se viver é fácil?
Se amar é fácil?
Não serão estes os "tesouros" que mais prezamos?

Todos temos problemas, obstáculos, uns maiores, outros menores. Vejo meninos miseráveis em países miseráveis que sabem sorrir. E observo nos olhos dos meninos "sem dificuldades" a sombra que tantas vezes não deixa sorrir. Porquê?

Passamos a vida desejando o que está já em nós. Buscamo-lo no exterior.

- O que será a felicidade senão a nossa capacidade de Amar?

- E o que é Amar?

- É a própria Vida, diria....

- O que é a Vida? perguntam os meninos curiosos.

- Hmmm... porque perguntas se Ela pulsa em ti?

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Noite de São João

Hoje é noite de S. João!

Há muito tempo era a festa pagã do Fogo, a festa da Luz e da Vida. É solstício de Verão, a noite mais curta do ano, daí a Festa da Luz; da Vida porque se faziam ritos de procriação.

Nos tempos actuais é no Porto que os acontecimentos mais se assemelham, e recriam, estes ritos. O início nas Fontainhas onde se come, bebe e dança (Terra), junto ao Rio (Água). Há o fogo de artifício no Ar, e depois, saltando a fogueira, dançando, caminha-se rumo à Foz onde se acendem fogueiras enquanto se aguarda o sol nascer (Fogo). Sem esquecer os balões no ar.

Os quatro Elementos estão presentes. Dançam, rodopiam, abraçam-se nesta noite mágica. O rumo: de Nascente - Fontaínhas - a Poente - Foz. A rota: do nascer ao morrer, do recém-nascido ao ancião, do Discípulo em direcção ao Mestre.

É noite de S. João, do mangerico, dos milagres de amor, das predições de casamento, das mensagens para os namorados... Sem falar em todas aquelas velhas tradições relacionadas com o orvalho e a Lua que conhecemos ou já ouvimos falar.

Boa noite de S. João!


Pensamento do Dia

Falar é espuma na água.
Acção é gota de ouro.


(Provérbio tibetano)

domingo, 21 de junho de 2009

Reflexão da Semana

Contradições

Pode o meu Inferno ser mais puro que o teu Céu,
se a minha consciência me leva a ver
e a crer
o bem
naquilo que a tua considera o mal.

Serão, então, ambos o Céu? Ambos o Inferno?
E quem é Deus?
E quem é o diabo?
Talvez tu, talvez eu...
Talvez eu, talvez tu...

Conforme o espelho que reflecte
o imo de cada um de nós?

(Texto retirado do Livro: Fragmentos de um Percurso Interior de Maria La-Salete Sá)